Pular para o conteúdo principal

ROBÔS COM SENTIMENTO, E HOMO SAPIENS...

Pois é. Ouvindo a rádio Bandeirantes quando voltava do aeroporto dia 13 de Setembro, entrou a voz de Inês de Castro, que fala sempre algo muito interessante para que possamos refletir. Desta vez foi hilário!

Ela começa dizendo que ouve frases da mulherada, e até de alguns homens que dizem o seguinte: "Meu umbigo ficou uns cinco centímetros mais alto do que era depois da minha plástica, mas não tem problema, pois quando estou vestida, minha barriga fica lindíssima, ninguém nota isso. Meus olhos mudaram um pouco da minha expressão, mas minhas rugas foram embora... " E me liguei no que ela dizia porque também percebo isto em algumas mulheres, mas, queria ver onde ela chegava com sua fala, e achei muito inteligente o rumo que tomou sua observação.

Então o comentário foi de que os médicos fazem o que as mulheres pedem, e chegam ao cúmulo de muitas vezes deformarem um rosto. Os dois se esquecem (por culpa principalmente da pessoa), de que para buscar a vaidade e a perfeição, eles batem de frente com a imperfeição. Essa gente se esquece, que o que vale mesmo, está dentro dela e não exatamente fora. Com estas "correções muitas vezes é preciso fazer os chamados "retoques" como um umbigo fora do lugar, um seio que fica completamente artificial e com os mamilos desalinhados, os olhos repuxados, e uma face completamente artificial.

Os médicos ( alguns que se prestam a isso ) se esquecem muitas vezes que embaixo daquela pele, existe um ser humano. Ao mesmo tempo, os cientístas e estudiosos da tecnologia, fazem robôs que substituem o "homem" , e a cada instante destes feitos e feiras que demosntram estas modernidades, eles tentam aproximar cada vez mais, os robôs dos "homens" de verdade, - a ponto de fazê-los chorar!

Coisa estranha que é o ser humano, não?

Hilário!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um dia você aprende

https://youtu.be/f6Hnwx44AnU




Um dia a gente aprende que...

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E você aprende que amar não significa apoiar-se, que companhia nem sempre significa segurança, e começa a aprender que beijos não são contratos, e que presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança; aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo, e aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais, e descobre que se l…

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Estou indignada por ler matérias em jornais e revistas onde jornalistas e médicos escrevem a respeito da pílula anticoncepcional como sendo o meio mais seguro de se evitar filhos, porém...

Nos programas de rádio e TV, a mesma coisa acontece. O que eles não abordam jamais, é o perigo que a pílula anticoncepcional causa para a mulher. (E nem todos os médicos tem essa preocupação com sua paciente).

Ainda hoje, dia 8 de Setembro li no caderno Folhateen - da Folha de S. Paulo, matéria de Jairo Bouer em sua coluna - SEXO E SAÚDE, onde ele aconselha como forma segura para se evitar a gravidez indesejada, o uso da pílula, e ainda escreve que, - menos de 20% delas são adeptas a isto, pedindo que se repense no caso, induzindo a mulher a usar a pílula.

Muito bem. O que as pessoas não sabem e não interessa dizer, é que a pílula e a reposição hormonal podem causar na mulher graves problemas como a TROMBOSE.

A trombose pode se transformar em uma EMBOLIA pulmonar conhecida como TEP - e isto pode matar…

Cozinhando com a faca na mão

Que coisa mais linda ver as crianças participando da vida como se fossem fazer suas próprias coisas, como a sua comidinha, ou arrumar seus deveres e sua caminha e coisas do  dia a dia. 
Lamento o fato de não termos alguns costumes  como temos por exemplo no Japão. Ví dia desses um filme das sobrinhas de uma amiga que nasceram lá e desde muito cedo,  na escola, elas todas trabalham com facas e aprendem a cortar peixes e a fazerem seus pratos tradicionais, rebuscados ou não. Eles acreditam que é interessante saberem mexer com o perigo, como o instrumento faca,  ensinado-as como manipular.  


 Eles tem total razão