Pular para o conteúdo principal

Marley e Eu



A história do livro que virou filme, com o nome de Marley e EU, é do cachorro que chega na casa de um casal de jornalistas recém casados, sem muitos problemas na vida e que decidem comprar um Labrador.

Esta raça de cachorro é típica para a frase que usamos para dizer que alguém está com a carinha de "cachorro abandonado" depois que "apronta" alguma arte. Por algumas vezes o diretor mostra esta carinha de Marley, que arranca suspiros da platéia. É lindo demais!

A estrela do filme, é sem dúvida o Marley, que vive todos os anos de sua vida ao lado de sua "familia humana" com direito a todas as emoções imagináveis. Ele é sensível e parece adivinhar o pensamento de seus donos, pior, se sente parte deles sem perder um instante se quer desfrutando da companhia dos dois, ainda que em momentos constrangedores. Ele está em todas!

Apesar de ser um filme para descontrair, o que é ótimo nos dias de hoje onde a guerra é notícia constante nos jornais, ele traz assuntos muito delicados nas diversas crises que vivemos no casamento.

Legal para refletirmos, portanto, se você tiver que levar um filho mais novinho ao cinema, sobrinhos, ou alguma criança agregada à sua vida, vá com boa vontade. Vai valer a descontração, acredite!

Comentários

  1. Nossa mana, entrei aqui para ver o seu comentário sobre o filme, vou levar o MT para ver. Obrigada pela sinopse...rsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Con
    Valeu pela dica.
    Eu não li o livro mas a história é muito comentada.
    Tenho vontade de ver o filme...vamos ver se dá.
    Animais tornam a nossa vida mais " leve"...affe.
    AMEI seu comentário.
    Você não imagina. ( risos )
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Ótimo filme com certeza... Não tão água com açucar como pensam. Vai mais além...
    Achei que deixou a desejar em relação ao livro, porém sou suspeito pra falar, li Marley e Eu numa fase não muito legal e me apeguei demais aquele cão. Resultado: Esperei demais do filme.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde li o livro adorei ,imagina o filme agora digo ninguém merece uma jóia como ele,vou te contar possuimos um na família está com os dentes da frente,mole,de tanta travessura acabou escorregando ,e bateu com tudo na parede,e por sua causa eu cai para não ver o sangue,ele se chama Yuri,é maltes mas tem complexo de inferioridade ,acha que é galgo(cachorro,que corre).
    Beijos eu amo animais,visite meu orcut essa jóia está lá.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho um Marley aqui em casa, ele é muito doido pensa q é gente... é a nossa paixão, se chama Logan está no meu album!
    Parabéns amiga adorei seu blog!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Dei o livro de presente a minha mãe e ela adorou riu muito, vou ver o filme!

    Bjs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não aprovo comentário ANONIMO!

Postagens mais visitadas deste blog

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Estou indignada por ler matérias em jornais e revistas onde jornalistas e médicos escrevem a respeito da pílula anticoncepcional como sendo o meio mais seguro de se evitar filhos, porém...

Nos programas de rádio e TV, a mesma coisa acontece. O que eles não abordam jamais, é o perigo que a pílula anticoncepcional causa para a mulher. (E nem todos os médicos tem essa preocupação com sua paciente).

Ainda hoje, dia 8 de Setembro li no caderno Folhateen - da Folha de S. Paulo, matéria de Jairo Bouer em sua coluna - SEXO E SAÚDE, onde ele aconselha como forma segura para se evitar a gravidez indesejada, o uso da pílula, e ainda escreve que, - menos de 20% delas são adeptas a isto, pedindo que se repense no caso, induzindo a mulher a usar a pílula.

Muito bem. O que as pessoas não sabem e não interessa dizer, é que a pílula e a reposição hormonal podem causar na mulher graves problemas como a TROMBOSE.

A trombose pode se transformar em uma EMBOLIA pulmonar conhecida como TEP - e isto pode matar…

Cozinhando com a faca na mão

Que coisa mais linda ver as crianças participando da vida como se fossem fazer suas próprias coisas, como a sua comidinha, ou arrumar seus deveres e sua caminha e coisas do  dia a dia. 
Lamento o fato de não termos alguns costumes  como temos por exemplo no Japão. Ví dia desses um filme das sobrinhas de uma amiga que nasceram lá e desde muito cedo,  na escola, elas todas trabalham com facas e aprendem a cortar peixes e a fazerem seus pratos tradicionais, rebuscados ou não. Eles acreditam que é interessante saberem mexer com o perigo, como o instrumento faca,  ensinado-as como manipular.  


 Eles tem total razão

Entrevista com Sérgio Viotti

O Jornal Modus Vitae, em Maio de 2007, conversa com Sérgio Viotti, quando ele interpretou um personagem da peça “O dia em que raptaram o Papa”. Viotti foi “Alberto IV”, um papa que imaginou ser por algumas horas, um transeunte comum pelas ruas de Nova York, mas o taxista que o levaria para a aventura - anônimo, judeu, o reconheceu prontamente e o seqüestrou.

O desenrolar da peça teatral de grande sucesso, é uma comédia, e Sérgio Viotti é mais que um ator, ele é mesmo o Papa. Procuramos essa “santidade” do teatro nacional, próximo aos seus 80 anos, e descobrimos que o “Papa” é mesmo pop.

Foi mais ou menos assim que abro a entrevista com Viotti, no entanto, é preciso dizer aqui, que eu me emocionei demais com a peça. Na verdade, muita gente se emocionou. Há momentos de total silêncio do público, e respeito, tamanha figura que ele travestido de PAPA representou.

Assisti a peça, no dia da estréia, algumas pessoas foram entrevistadas na saída ainda tomadas pela emoção. A TV Gazeta vem em minh…