Pular para o conteúdo principal

Eça de Queiroz

"Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão"


Este homem, nasceu em Portugal, em Póvoa do Varzim, em 25 de Novembro de 1845 e morreu em Paris em 1900. Morreu tão cedo.

É considerado o melhor escritor realista português do séc XIX.

Escreveu entre outras coisas: "Os Maias" e "O Crime do Padre Amaro".

Comentários

  1. Graaaande Conceição:

    A frase que abre este post já é conhecida minha de longa data, mas é sempre muito agradável de se lê-la (Eita!), pela grande verdade que ela encerra.

    Parabéns por publicá-la e pela brevíssima biografia do Eça de Queiróz. Não faltou nada, não? Nem uma citaçãozinha piquinininha e suscintazinha de quando ele fez a primeira comunhão?

    Abraços e feliz semana!

    ResponderExcluir
  2. Querido, por favor, deixe aqui um pouco da sua sapientia no meu blog.

    Conta tudo!

    Quero saber com detalhes.

    Fico honrada com sua visita! Bjus CON

    ResponderExcluir
  3. Cara Conceição:
    Não tive nenhuma intenção de subestimar seus conhecimentos, tampouco provocar melindres sobre a sua postagem. Foi apenas para alegrar o meu comentário.
    Na verdade, o que você publicou sobre o Eça de Queirós é muito, mas muito mais mesmo, em relação ao que sei ou que sabia sobre ele. Que era português, eu sabia. Mas não sabia que ele era casado com a Sra. D. Emília de Castro Pamplona, irmã do Conde de Resende. E sobre este fidalgo, sei de mais duas coisas: que o nome da minha cidade – Resende – é uma homenagem a ele, e que a Vila Resende, em Piracicaba, que sedia a séde (Eita!) das cachaças 51 e Tatuzinho, se constitui em outra homenagem ao dito cujo. Para confirmar isso, bastar ver os rótulos nas garrafas das mesmas.
    Pincei a informação sobre a Sra. D. Emília com a ajuda do Google, que me levou ao site http://www.nossosaopaulo.com.br/, que me apresentou a página http://www.nossosaopaulo.com.br/Reg_SP/Barra_Escolha/B_EcaDeQueiros.htm, e ai, sim, me desburrei um cadinho sobre o grande Eça de Queirós.

    Torno a mandar-lhe um abraço papagoiabense.

    ResponderExcluir
  4. Norival, jamais pensei que vc pudesse me provocar. Sou uma anta calçada e vestida, como dizia minha avó que era portuguesa, para alguém que não sabia nada! rsrsrsr Quem dera, eu saber tudo de Eça de Queiros, ele foi maravilhoso, e minha avó leu todas as linhas que ele escreveu e publicou. E pior, ou melhor, ela tinha uma memória invejável e a todo instante, ela usava coisas divertidas, inteligentes para nos ensinar e muitas vezes, eu burra de pai e mãe, não dava ouvidos. Hoje me arrependo amargamente!!!!


    Adorei seus cometários e temos muito a acrescentar.... ainda! bjus

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não aprovo comentário ANONIMO!

Postagens mais visitadas deste blog

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Estou indignada por ler matérias em jornais e revistas onde jornalistas e médicos escrevem a respeito da pílula anticoncepcional como sendo o meio mais seguro de se evitar filhos, porém...

Nos programas de rádio e TV, a mesma coisa acontece. O que eles não abordam jamais, é o perigo que a pílula anticoncepcional causa para a mulher. (E nem todos os médicos tem essa preocupação com sua paciente).

Ainda hoje, dia 8 de Setembro li no caderno Folhateen - da Folha de S. Paulo, matéria de Jairo Bouer em sua coluna - SEXO E SAÚDE, onde ele aconselha como forma segura para se evitar a gravidez indesejada, o uso da pílula, e ainda escreve que, - menos de 20% delas são adeptas a isto, pedindo que se repense no caso, induzindo a mulher a usar a pílula.

Muito bem. O que as pessoas não sabem e não interessa dizer, é que a pílula e a reposição hormonal podem causar na mulher graves problemas como a TROMBOSE.

A trombose pode se transformar em uma EMBOLIA pulmonar conhecida como TEP - e isto pode matar…

Cozinhando com a faca na mão

Que coisa mais linda ver as crianças participando da vida como se fossem fazer suas próprias coisas, como a sua comidinha, ou arrumar seus deveres e sua caminha e coisas do  dia a dia. 
Lamento o fato de não termos alguns costumes  como temos por exemplo no Japão. Ví dia desses um filme das sobrinhas de uma amiga que nasceram lá e desde muito cedo,  na escola, elas todas trabalham com facas e aprendem a cortar peixes e a fazerem seus pratos tradicionais, rebuscados ou não. Eles acreditam que é interessante saberem mexer com o perigo, como o instrumento faca,  ensinado-as como manipular.  


 Eles tem total razão

Entrevista com Sérgio Viotti

O Jornal Modus Vitae, em Maio de 2007, conversa com Sérgio Viotti, quando ele interpretou um personagem da peça “O dia em que raptaram o Papa”. Viotti foi “Alberto IV”, um papa que imaginou ser por algumas horas, um transeunte comum pelas ruas de Nova York, mas o taxista que o levaria para a aventura - anônimo, judeu, o reconheceu prontamente e o seqüestrou.

O desenrolar da peça teatral de grande sucesso, é uma comédia, e Sérgio Viotti é mais que um ator, ele é mesmo o Papa. Procuramos essa “santidade” do teatro nacional, próximo aos seus 80 anos, e descobrimos que o “Papa” é mesmo pop.

Foi mais ou menos assim que abro a entrevista com Viotti, no entanto, é preciso dizer aqui, que eu me emocionei demais com a peça. Na verdade, muita gente se emocionou. Há momentos de total silêncio do público, e respeito, tamanha figura que ele travestido de PAPA representou.

Assisti a peça, no dia da estréia, algumas pessoas foram entrevistadas na saída ainda tomadas pela emoção. A TV Gazeta vem em minh…