Transar ou não transar... Eis a resposta


Minhas amiguinhas que começam a vida sexual me ensinam tanto...
Sou surpreendida a todo instante.
A pura verdade é está - Há um ano, elas me pediam ajuda sobre a eterna dúvida da mulher em "dar ou não dar" .
Diziam se preocupar com a mãe, - com o que o menino pensaria dela, - como conseguir ir ao médico sem que a mãe soubesse e, se realmente era a hora, ou não.
Este momento chega para todos nós, e sempre de maneira parecida. Os benditos hormônios nos atentam!!!!!!!! E Não sabemos explicar exatamente o que acontece com a gente. É chegada a hora.
Há uma guerra dentro de nós, e fora também.
A de dentro, é a física, ela existe em nós e se manifesta nos transformando em mulher de verdade. Ficamos inquietas, como um bicho no cio.
A de fora, é aquela que vem trazida dos padrões da nossa sociedade, religião, e idéias pré-estabelecidas. Amarras que em outros mundos, não existe.
No entanto, como a história se repete, ela acaba sendo seduzida e se torna - mulher!
Pouco mais de seis meses depois do evento realizado, ela se sente segura para tratar do assunto numa boa... E um ano depois de tantas dúvidas, ela, muitas vezes, já se sente atraída por outro, porque aquele, o primeiro, está pegando muito no seu pé... Não dá tanta atenção a ela, e nem é tão romântico, como ela gostaria que ele fosse. ( ????????? QUÊ ?????????? )
Pasmem! É assim que acontece muitas vezes.
Fico feliz por um lado, porque acredito que a mulher deva conhecer mais de um homem antes do casamento. ( embora depois, ela possa conhecer também ).
Fico atenta a todos os movimentos delas, por querer entender e aprender como funciona uma cabeça neste quesito, em pleno século XXI.
Enquanto para algumas, muito poucas, a experiência é boa e se mantém, outras, procuram emoções fortes e constantes, diferentes, vibrantes. E ainda namorando, os seus olhos, o seu corpo, os hormônios, o instinto, já se manifestam para outra experiência.
Elas chegam a trair o seu próprio namorado.
Isto ainda é uma coisa meio de maluco.
Pois, um ano antes, ela era só dúvida.
Um ano depois, ela quer experiência e acredita que o primeiro, ja está devendo a ela...
Sem medo de ser feliz, arrisca! Gosta da nova empreitada e continua. Briga com seu namorado que normalmente tem por ele, carinho especial, mas com relação a sexo, nada a ver! ( puxa, que evolução rápida! ).
Maravilha a juventude.
Sem medo de ser feliz, vai a procura daquilo que lhe dá maior e melhor prazer.
Quem dera, no nosso tempo, tivessemos um cérebro assim, tão evoluído.

Comentários

  1. Tá ai gostei, mas para toda ação devemos esperar pela reação.
    Sempre devemos ter respeito pelo nosso corpo e usar camisinha sempre! Prevenção à saúde física e outras surpresas "indesejáveis".

    bjks e você está como o José Simão...demais.

    Ton

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não aprovo comentário ANONIMO!

Postagens mais visitadas deste blog

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Entrevista com Sérgio Viotti

Dr. Luis Fernando Aguiar - Ginecologista diz....