A festa tradicional do Japão é fálica!




A Festa "Duca" existe e é no Japão, incrível!!!
Estive no Oriente e passamos pela CHINA.
Quando por lá estive, fiquei impressionada com o tamanho daquele país!
Com a quantidade de bikes que se vê nas ruas...
O tanto de gente que cruza com você o tempo todo!
A humildade daquele povo. A pobreza daquela gente.
O esforço no trabalho braçal.
A falta de jogo de cintura de todos eles, em massa!
A distância daquilo em se comparando com o mundo e suas riquezas, novidades, vida!
A tristeza de ter um filho só. ( há que ser assim mesmo )
A vontade de sair de lá para um mundo aberto.
A falta de vaidade escancarada num corte de cabelo feminino, o masculino nem se fala.
As crianças nas ruas.
A carência de todos!
A obediência política.
As roupas.
As dificuldades.
A disciplina.
A Muralha da China.
A Cidade Proibida. ( Veja o filme "O Último Imperador").
O Túmulo de Mao Tsé Tung que está embalsamado, e o tanto de gente que quer vê-lo.
E tanto mais...

Hoje a China está mais aberta, tem Coca-Cola, Mc Donalds, prédios enormes e é potência mundial, porém, para alguns, bem poucos, na verdade - os contrastes são descaradíssimos.
No entanto, a religião que é forte entre eles, é bastante interessante. ( Budismo, Taoísmo, Católicos, Xintoístas e mais... A base é construída em divindades da natureza )

Os costumes destes lugares, são boa parte da descoberta de uma bela viagem.
No Japão, sentimos a cultura bastante diferente, mas com mais luxo, esclarecimento e exigências do povo. Diferentemente da China.

Sempre nos divertimos em meio ao aprendizado destas experiências e desta vez, foi quando nos deparamos com uma grande festa, onde o símbolo  principal dela, era fálico - o pênis humano, em praças, parques, templos, e ruas pela cidade. Fiquei m a r a v i l h a d a! Com tamanha liberdade num país tão tradicional quanto o Japão. Pois, estive por lá depois dos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988 e aproveitamos para conhecer grande parte daquela região.

Na China, de lá para cá, muita coisa mudou, só não mudou aquilo em que eles acreditam ser o correto. Portanto, vimos mulheres, crianças, homens, senhoras, senhores, casais recém casados que querem um filho, turistas de todo o mundo, meu marido e eu, passando a mão em tudo quanto era pênis que víamos por lá, pois dançamos conforme a música por onde estamos. Eu, já tinha meus filhos, mas a fertilidade é ampla.




Fiz este post em homenagem ao Varal de Idéias do P.L,que é fertilíssimo em cultura e criatividade. Convido que entrem em seu link e conheçam seu espaço maravilhoso> http://cimitan.blogspot.com/ (procure a
foto de Coubert que você vê ao lado esquerdo deste post ). E que deu "pano para mangas", o assunto que foi motivo de indignação de muita gente. Saiba mais no blog do também amigo, Bento...

http://bento-vai-pra-dentro-bento.blogspot.com/2009/02/portugal-dos-pequenitos-parteii.html A pintura é de 1866 e denominado "A Origem do Mundo",
está exposto no Museu D'Orsay em Paris.




Comentários

  1. Quando menos esperamos... aí encontramos a diferença!...
    O "assalto" policial a recolher o livro com a imagem "porno" é de bradar ao céus e faz-me lembrar o que era este pequeno país, quando a censura era uma realidade e quando nem uns seios nus se podia ver em qualquer revista ou jornal...
    O pénis da China é quase um tributo!... Afinal, a falsa moral, o preconceito apenas existe na cabeça das pessoas...
    Na televisão é a mesma coisa: permite-se cenas de violência aterradoras e "cortam-se" as cenas de amor entre seres humanos!...
    Mas mostra! Mostra o teu abraço ao pénis!...

    ResponderExcluir
  2. Conceição,

    otima e oportuna postagem.
    É exatamente como você diz, cada povo tem lá suas crenças e manias! Habitos e costumes. E a moral muda de acordo com as exigências sociais religiosas e economicas de cada povo.
    Vou te contar um segredo: eu pessoalmente acho muito mais excitante um par de pés do que muita bunda ou peito feminino. Entretanto ninguém deixa de exibir (ainda bem) seus pés, e tem pudores com as outras partes do corpo! Vai entender....

    Obrigado pelas referências ao Vral e pelo link!

    Vou lá no Bento

    Bjs e ache as fotos...

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada Eduardo, por ter me dado a honra de sua visita e de seu comentário em meu blog!

    Isto tem um peso imenso! Afinal, você é o cabeça disto aqui para mim e para muitos. Somos, queria você ou não, um seguidor assíduo do que você fala, e faz.

    No deixa dicas, explicações, usa do bom senso conosco, tempera, mede e acomoda a todos! Fora seus posts educativos, criativos, divertidos e mais e mais.

    Por esta razão o meu muito obrigada! Tenho aprendido demais por aqui e com você e seus amigos, em especial.

    Bom final de semana, CON DUARTE

    ResponderExcluir
  4. Amaral

    Amaral, já ví que terei trabalho a fazer neste final de semana - o de mexer nas minhas fotos até encontrar o meu "abraço" ao pênis chinês... vc vai rir, mas mostrarei...

    Adorei oque disse por lá no meu blog!


    Muitíssimo obrigada e vc tem toda razão em todas as letras que deixou por aqui... Grande beijo, CON

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Disfarça Con! Aqui vale tudo, mas escondido!

    No Japão, o culto ao penis em busca da sorte e da fertilidade é igual ao da China.
    Diga-se de passagem, um naquelas condições, é sorte mesmo!
    Aqui, nós ocidentais (os pudicos, claro!), nem conseguimos nos imaginar no meio da rua, carregando um penis como os das fotos, enorme, de isopor, decorado, lindo, limpinho, são, porque como você diz, é daquela cultura e mais: a nossa repudia manifestações como essas em público e se duvidarmos, seriam enquadradas criminalmente como “atentado ao pudor”.

    Pensando bem e culturas à parte, um de verdade, igual aos de suas fotos, nas devidas proporções (é claro!), com aquela firmeza toda, o que segundo as pesquisas, hoje em dia não está fácil de se achar, bem: deixa pra lá...
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo toque aqui.
    Uma maravilha o teu texto. Abrangente, profundo,claro, directo e mortífero!

    Lá fui a Wulingyuan saber dessas "naturezas"...
    O que se aprende é surpreendente.

    Gostei muito e, já agora, também vou ficar a aguardar a sua foto de abraço!

    Um beijo e bom Domingo.

    ResponderExcluir
  8. Confesso que também já sabia que na China o Pénis é o Simbolo da Fertilidade, mas nunca o tinha visto assim tão bem tratado no regaço das mocinhas...rsrsrs
    Já em Braga...
    Parace que Salazar ainda se movimenta por lá!
    Parabéns pela excelente postagem.
    Bjs
    G.J.

    ResponderExcluir
  9. O contraste do povo chines, é uma dadiva, pois, é na diferença que se encontra o caminho para igualdade!
    Parabés pelo blog...

    ResponderExcluir
  10. Conceição Duarte... Em primeiro lugar quero agradecer a visita, o comentário e a referência. Oarece que causámos uma polémica em cima da polémica..tal não foi a avalanche de reacções... Quanto ao seu post...Está muito bom! A China tem tradições milenares de índole pagã...Imagina uma manifestação dessas numa terra de moral fortemente cristã...
    O que me custa mais é que estes episódios se sucedem ciclicamente na nossa sociedade...Estou a recordar-me da censura ao "Evangelho" do Saramago por exemplo...
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Conceição

    Parabéns pela sua coragem.
    Este assunto do quadro está a dar grande celeuma aqui em Portugal.

    ResponderExcluir
  12. Viva, Conceição!

    Bem, não foi todo o Portugal, bem entendido, o censurador. Nem tão pouco o horrorizado com a "censura".

    Apenas dois pequenos ignorantes, feitos zeladores da moral pública. E alguns quantos outros a aproveitarem o "evento".

    Mas os palermas, ao perceberem o erro em que haviam caído - e bem assim o ridículo - de imediato corrigiram o disparate e, no dia seguinte, tudo voltara ao normal.

    O que aconteceu foi que o livro, além da capa e contra-capa, com o quadro, tinha por título "Pornocracia" em tipo de letra tal que denunciante e polícia julgaram ter lido "Pornografia".

    Seria, portanto, para eles, um livro de pornografia, ali exposto, sob os olhares das criancinhas. Daí à denúncia e à apreensão foi um passo. Constatada a parvoíce, tudo voltou à forma anterior.

    Se bem que um tanto puritana demais, o que é certo é que a fundamentação para o acto policial não era completamente tola.

    Um livro de pornografia em exibição na praça pública, perante todos, inclusivamente crianças de tenra idade, parece mesmo coisa de reprovar.

    O que não se pode levar demasiado a mal é que um pacóvio qualquer e um polícia ignorante o sejam. Sim, ignorantes.

    E até não será caso para perguntar quantos "connaisseurs" ignoravam, eles também, até agora, a existência do célebre quadro?

    Por vezes nem se chega a saber qual o mais obsceno, se o acto propriamente dito se a sua exploração amplificada, num pa+is em que TVs, rádios e jornais são mesmo meramente paroquiais e de argumentação de comadrice.

    Esse mesmo quadro "A origem do mundo", de Gustave Courbet, foi por mim publicado no meu blog anterior, em 6 Janeiro 2006.

    Antes, não constava que alguém o tivesse feito e certamente que muito poucos sabiam da sua existência.

    http://ruvasa.blogspot.com/2006/01/633-arte-origem-do-mundo.html

    Abraço grande. amiga.

    Ruben

    ResponderExcluir
  13. Ruvasa meu amigo, obrigada pela sua visita mais uma vez. Já estava com saudades suas.

    Entendi perfeitamente seu ponto de vista e sabemos que essas coisas acontecem, mas mesmo assim, ainda que um quadro esteja exposto num museu como está este que deu esse tremendo ti ti ti = fofoca! Nós nos assutamos um pouco com a reação ainda que seja de apenas uma pessoa. Claro que a unimidade é burra como dizia um teatrólogo nosso muito famoso, Nelson Rodrigues, tudo bem. O que não se aceita é que nos dias de hoje, alguém veja tanta maldade numa palavra mal lida, ou apenas que insinue algo, ou num qadro pintado com o sexo de uma mulher cujo título é o mais bonito de tudo - "A Origem do Mundo ".

    Meu amigo, sou neta de portugueses, meu marido é filho de portugueses a mãe nascida em Lisboa, e o pai em Freguesia de Nespereira, Conselho de Sinfães, Bispado de Lamego e por fim, Distrito de Liseu. Como pode perceber, somos da terrinha muito mais do que pode parecer. Entendo que vc defenda sua gente, assim como eu defenderia os meus ( incluo Portugal e Itália por parte de papai ) Mas, neste caso, só foi um susto que nos trouxe uma lembrança do passado que ninguém quer de volta.

    Não tive de maneira nenhuma a intenção de magoar vc, ainda mais tendo o nome de sua querida mãezinha e metade de minha famíla com o sangue de Portugal.

    Meu carinho e respeito a você, CONCEIÇÃO

    ResponderExcluir
  14. Aidinha, minha mãe, que bom que vc gostou. E a senhorita me saiu melhor que a encomenda , não? Ahahahahah deixa pra lá....rsrrsrs
    Bjus filhota

    ResponderExcluir
  15. João Menéres vc tem idéia do quanto foi bom vir aqui? Muito obrigada por seu comentário. Um grande beijo e carinho.

    ResponderExcluir
  16. Eduardo P.L Já fui lá te agradecer, como faço com todos! Mas registro aqui, minha emoção em receber sua vista e seu carinho. Grande beijo e obrigada por seus posts.

    ResponderExcluir
  17. Gaspar, pois é, já sabíamos, mas agora é que este fato veio à tona desta maneira tão sem jeito, e portanto gritamos, só isso!

    Que bom, estamos atentos! Todos

    ResponderExcluir
  18. Saulo, muito louco tudo isto né? São os costumes, o entendimento, o modo de ver, reagir, perceber de cada lugar.

    Obrigada

    ResponderExcluir
  19. Luis Bento, não desanime, é sempre assim. A cabeça da pessoa, de cada um de nós, vê as coisas de maneira tão diferentes. Sentimos diferente, a verdade é que somos todos carentes, precisamos de um alozinho, de uma xamêgo, de uma amigo, de uma amor, mas nossos pensamentos e ideias, são independentes e isto é que faz a sociedade ficar complicada também.

    Bjinhus e muito bom que ficamos ligados em tudo, não é?

    Obrigada a vc por vir aqui.

    ResponderExcluir
  20. Jorge, obrigada pela visita, como tenho dito, só me lembrei disto tudo por causa da postagem dos amigos que me refiro no meu post. Afinal, a maldade está dentro de cada um e não na arte, jamais!
    A arte chama a atenção para as coisas, para as verdades, para a realidade e ela não deve jamais ser podada. Ainda mais neste caso.

    Obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  21. parece-me estranho que tenha assistido na China, a um festival anual que ocorre em Março no Japão!! Os nativos são parecidos (em fotografia), mas estando no local nota-se a diferença.

    como também eu já estive na China várias vezes (em trabalho!) e nunca ouvi falar de tal coisa, e tendo uma amiga japonesa a viver em Portugal comentei com ela e investiguei....
    http://www.yamasa.org/japan/english/destinations/aichi/tagata_jinja.html
    http://www.2camels.com/photos/hounen-penis-fertility-festival.php
    http://www.wordpress.tokyotimes.org/?p=2088

    ao que percebi, este festival acontece no Japão há cerca de 300 anos e é dedicado à fertilidade. Na sua origem esteve, não a fertilidade, mas sim a protecção contra as doenças transmitidas sexualmente numa época em que grassava a prostituição e por consequência a Sífilis.
    O que me parece bem mais lógico, uma vez que a fertilidade é associada, diria que sem excepção cultural, ao corpo feminino. O falo é normalmente associado à força, à perpetuidade, à firmeza e, naturalmente, à virilidade!

    ResponderExcluir
  22. Lou, vc tem razão, é no Japão sim que tem isto tudo, mas na China tb!

    TEnho fotos aqui, mas vou ver direitinho e se for o caso, tenho que corrigir tudinho.

    Obrigada, Um beijo, CON

    ResponderExcluir
  23. Antes de mais, gostaria de te agradecer a visita ao meu espaço.
    Gostei deste post, pois informou-me bastante acerca duma tradição chinesa que eu desconhecia.
    De facto a China é um país fascinante, pois tem um refinada cultura milenar que deixa assombrado qualquer ocidental.
    Dá para ver por este post que os chineses têm um certo "respeito" pelo pénis... :))
    Espero, a partir de agora, sempre que possível, ir acompanhando o teu blo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Conceição, não me fiz entender! É possível que a China também festeje a mesma coisa e da mesma forma. Afinal são povos com as mesmas "origens". Eu só não encontrei informação nesse sentido, o que não quer dizer que ela (a informação) e o dito festival não existam!!! Bom fim de semana :)

    ResponderExcluir
  25. Meu filho mais velho, foi dar uma conferença em Pekin, depois em outras cidades Chinas.
    Ele encantou.
    Dis que édiferente a tudo o que os Occidentáis temos costume.

    Espera poder voltar.
    Un beijo, um postagem, muito trabalhado e com muita informaçäo.
    Parabéns,
    Un beijo

    ResponderExcluir
  26. Viva, Conceição!

    Não, querida amiga. Eu não me senti magoado. E por que motivo sentiria?

    A ignorância de de dois ou três - ou até mais - pessoas que terão insuficientes conhecimentos culturais não é caso para desespero.

    O que é caso para desespero é isso estender-se a tanta gente que se diz e é tida como de cultura. E isso, minha amiga, é o que mais abunda nesta terra que Deus acarinha e os "portugas" - não confundir com portugueses - paulatinamente vão destruindo.

    No Portugal actual, todo o mundo discursa em grandes tiradas sobre tudo e sobre nada - invariavelmente sobre nada - com o mesmo facies, com o mesmo desplante, com a mesma pesporrência dos que nada sabem, nem sequer que nada sabem. E em quase 100% dos casos, o orador - que, por vezes é autêntico "horador" - ignora tudo acerca do que está a falar.

    São as "dores" da democracia, ainda que, como em Portugal, ela seja apenas formal... e formalmente muito descuidada.

    Este meu país - e dos seus antepassados - está transformado numa, como dizia Eça, verdadeira "choldra". Só que Eça pecou por excesso, talvez, ao passo que quem o diga agora, certamente que peca por defeito. Muito defeito.

    Foi contra esses tolos e ignorantes, vaidosos sem motivo, que nunca fizeram fosse o que fosse pela sua Pátria e pelos seus compatriotas - até porque a ignorância e a estupidez não lhe permitiriam que algo de construtivo fizessem - que me insurgi.

    Não dá para, neste espaço, fundamentar mais a minha posição, mas se Você, amiga, aqui vivesse por um ano, certamente que entraria em colapso catatónico, perante aquilo a que assistiria na progranmação das TVs e rádios e na maioria dos escritos dos jornais.

    Portugal - esta nação de gente destemida de outrora, construtora de sociedades e verdadeira criadora do conceito de "aldeia global", a que deu forma e conteúdo - é, hoje em dia, não mais do que uma simples paróquia de gente aparolada sem um mínimo conhecimento de História, sua e alheia, de Filosofia, de Sociologia, das mais diversas vertentes da vivência e ciência humanas, enfim, mas cujos meios de comunicação social estão prenhes de gente que, não obstante isso, persiste em falar do que nem sabe que existe. Por isso só diz e pratica idiotices.

    Como tal e como deve calcular, apenas bolsa sandices de estarrecer.

    Aliás, como compreender de outra forma uma nação - na sua generalidade - que é governada por um tipo de algibeira surrada, que há muito deveria estar a prestar contas do que, em vagas sucessivas, tem feito ao longo da vida e, não obstante isso, continua a ser idolatrado pela maioria. Tudo, porque essa maioria do Zé Povinho tem espírito de fora-de-lei e, assim, quem afronta a lei, desde que não seja apanhado, entra de imediato na sua galeria de heróis.

    Por exemnplo: em Inglaterra, quem se exime ao pagamento de impostos legais e legítimos é perseguido pela Justiça e marginalizado pela Sociedade; em Portugal, pelo contrário, só não lhe é erigida uma estátua... porque isso dá um trabalho dos diabos e o trabalho é bom, sim, mas para... o preto, que já foi escravo e pena é que o não tenha continuado a ser...

    Como vê, pensando como penso - e diariamente reafirmo - como poderia ter ficado magoado?

    Abraço, minha querida amiga.

    Ruben

    NB.- Vou deixar este comentário também no seu blog.

    ResponderExcluir
  27. EM PORTUGAL TB. HÁ MUITOS CARNAVAIS COM PÉNIS DAS CALDAS DE MÃO EM MÃO. A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NÃO SE PODE VER PELA QUANTIDADE DE PÉNIS EM CIRCULAÇÃO. MAIS, OS CHINESES SEMPRE FORAM MUITO MALANDROS NA ARTE ERÓTICA. TODA A GENTE SABE. QUANTO À APREENSÃO DE UM LIVRO EM BRAGA,NÃO PASSOU DE UM "FAITS DIVERS".

    ResponderExcluir
  28. QUERIDA CONCEIÇÃO, GRATA PELA VISITA, NÃO CONHECIA OP TEU BLOGUE E TENHO QUE DAR-TE OS MEUS SINCEROS PARABÉNS, PELO BELÍSSIMO TEXTO, OU NÃO FOSSES JORNALISTA, MAS IMPARCIAL, QUE MUITO ME AGRADOU... BEIJINHOS E UM ABRAÇO, BOM DOMINGO,
    FERNANSDINHA

    ResponderExcluir
  29. Conceição,

    Bom artigo este.
    Já tudo foi dito e, entretanto, as coisas foram repostas no seu lugar.
    Mas não deixa de ser sintomático que tais situações ainda aconteçam no séc. XXI, sobretudo pela ignorância, ausência de bom senso e falta de preparação de quem tem obrigação de zelar para que estas situações não se verifiquem.
    Um beijo,

    Milouska

    ResponderExcluir
  30. Viva, Conceição!

    O Jorge Pinheiro, do "Expresso da Linha", veio lembrar algo de que me esqueci esta manhã, ou seja, a louça das Caldas da Rainha.

    Maior brejeirice é difícil de encontrar. Talvez apenas e só na Índia, onde a arte figurativa vive por todo o lado com cenas de sexo, tântrico ou não, bem explícito.

    Por cá, a louça das Caldas é exposta e vendida em toda a parte, em feiras por todo o país, sem qualquer entrave.

    Para ficar com uma ideia, siga os links que indico e vai ver que talvez se surpreenda.

    http://www.caldas-funnyarts.com/index.php?option=com_content&task=blogcategory&id=2&Itemid=36

    Neste primeiro link, aprecie com calma, sem precipitações escusadas, as canecas, os cinzeiros (sim, os cinzeiros), os bonecos e as garrafas.

    Também esta reportagem (o repórter é da Sic Radical) passada na Televisão aqui há um ano e tal, é bem elucidativa.

    http://www.youtube.com/watch?v=Bn-8H9Ty8Ag&feature=related

    E mais:

    http://images.google.pt/images?q=lou%C3%A7a%20das%20Caldas&oe=utf-8&rls=org.mozilla:pt-BR:official&client=firefox-a&um=1&ie=UTF-8&sa=N&hl=pt-PT&tab=wi

    Mas, também, se no Google fizer uma busca por "falo" encontra, relativamente a Portugal, algo que talvez a deixe menos surpreendida e extasiada perante a arte fálica chinesa, que talvez comece a considerar ser coisa de meros aprendizes.

    ;-)

    Como vê, uma coisa é o que se diz (os tais incultos e pesporrentes de que falei no comentário anterior) e outra, bem diversa, a realidade.

    E não se esqueça. Quando vier a Portugal, vá às Caldas da Rainha. Mas mesmo que não vá, visite qualquer feira popular ou até lojas de louça e pergunte por "louça das Caldas".

    Verá que não ficará desiludida. Nem com a qualidade, nem com a diversidade, nem com a brejeirice nem com os tamanhos, que os há para todos os gostos e necessidades.

    E quando deparar com uma garrafa de excelente vinho de 1 litro - ou mesmo litro e meio - em forma de falo, aí será o ácume! Para quê copo?!

    ;-)

    E mais:

    Pode passear-se com o falo em punho, à vontade, que ninguém se escandalizará. Isto por cá, é tudo gente que sempre calcorreou mundos e mundos e há séculos descobriu o cosmopolitismo e a tolerância para com o semelhante e as suas idiossincrasias muito próprias.

    Os portugueses que constuituíram a emigração para o Brasil, muito estimáveis, mas pouco instruídos, embora muito trabalhadores, nada arruaceiros, que, de forma decisiva, deram início e mantiveram o que hoje é o Brasil que a todos nós muito orgulha, não esgotaram os "fac símiles" do português médio, que é, sempre foi, muito mais do que isso.

    É claro que eles não ombreiam - provavelmente não o desejariam, por entenderem que a sua autenticidade é por demais valiosa, para ser malbaratada - com a imigração que hoje em dia por cá temos. Mas deles nos orgulhamos. Muito. Com fundadas razões.

    Outro abraço grande e amigo

    Ruben

    ResponderExcluir
  31. Vim aqui parar via Varal de Ideias, curioso por ver o tema de "A Origem do Mundo" aqui tratado. A comparação com o festival da fertilidade é interessante. Bom Domingo.

    ResponderExcluir
  32. Meu querido Ruben, vou ver imediatamente e sei que muito vou me divertir, já conheço alguma coisa delas rsrsrsr Mas me divirto sempre com estas sacanagens! Afinal o mundo é dos sacanas, todos fomos, ou seremos um dia, no sentido do sexo ao menos!

    TUdo que me disse , tens toda razão, sem dúvida nenhuma. Só coloquei a minha postagem por ter sido o assunto levantado por muitos daqui e por ter tomado conhecimento de uma coisa que também considerei imponderada, impensada, boba! Ainda mais nos tempos de hoje.

    Você pensa que aqui no Brasil não temos dessas idiotices também? E como temos, mas quando elas acontecem caímos de pau em cima dos caras, não perdoamos nada.

    Ainda ontém o Obama vendo o jogo de Basquete, tomou um copo de cerveja e saiu em todos os jornais do mundo, mas se fosse o LULA, nosso presidente, diriam que ele estava de porre, pois tem fama de beber....E ele, nosso presidente, como não tem curso superior e nem tampouco é chegado numa leitura, tudo que fala, é registrado e massacrado. Nós humanos somos assim.

    Este assunto, deu o que falar, por que temos que pegar sempre um pelinho no ovo, mas nada demais.

    Sabemos o quanto as pessoas, os países, a cultura de cada um é diferente e interessante.

    Vc acredita que aqui no Brasil, ainda é raro vermos uma mulher tomar banho de sol ou entrar na piscina sem a parte de cima do biquini? Pois, se isto acontece, todos olham discaradamente como se tivessem vendo um ET e não uns peitos!

    No entando, na Ilha da Madeira, que é belíssima por sinal, meu filho com uns 8 anos de idade, ficou maluco com as mulheres no hotel, entrando na piscina sem a parte de cima do biquini, chegavam perto da cadeira depois do mergulho n'água, se enxugavam e trocavam até a parte debaixo do biquini, para não se manterem úmidas. Com uma grande classe, trocavam o biquini protegidas pela toalha. E mulheres mais velhas do que eu! Mas nossa cultura ainda se assusta com isto, e veja bem... Aqui no carnaval, vê-se pela televisão bundas e peitos a vontade sacudindo na avenida e nos bailes da vida. Muita sacanagem, o rala e roal rsrsr. Isso pode! Vai entender????!!!!!!!!!!!

    São coisas que acontecem, e que a gente pega, só isto, mas o mais interessante meu amigo, de tudo isto é o que falamos, o que debatemos, o que teimamos e o que descobrimos depois de uma coisa como essas. Veja quanto aprendi com vc e com os outros. Veja quanto todos nós analisamos e pensamos sobre isto tudo. Aí está o positivo. O lado negativo já sabemos que é ínfimo e que não nos toca mais, já passou, consertaram o erro e bola pra frente!

    Vamos sem rancor, sem galhofa, apenas tirando o que há de bom nisto tudo! Sua vinda aqui, foi muito boa! Vou ver agora o que me enviou sobre as louças... E sei que vou me divertir.

    Bjinhus e até mais...

    Conceição.

    ResponderExcluir
  33. Viva, Conceição!

    Claro, amiga.

    Da sua parte, foi apenas como a Conceição disse e nada mais. Tudo normal e de bom gosto.

    Mas, como bem sabe, nem todos são Conceições Duartes. E viu-se bem que assim é.

    Quanto ao topless, não é só nas piscinas da Madeira que se pratica.

    Cá, no continente, também é praticado e nas praias, não já nas piscinas mas sim nas praias. E ninguém está preocupado com isso.

    Se até as praias de nudistas (naturalistas como dizem ser) estão, em vários casos, paredes meias com as outras e ninguém anda por lá a espreitar com sacanagem!
    Isso foi chão que deu uvas...

    Por sinal, até nem seria mau que não se tivesse chegado tão longe. Sabe porquê?

    Talvez Portugal não estivesse hoje a ser "gaymente" (mas tristemente...) governado e o lobby gay não fosse de tal forma poderoso e monopolista que os hetero, embora talvez ainda em maioria, não fossem tão ostracizados e não estivessem tão perto de, um dia destes, terem que pedir desculpa por serem-no!

    Mas deixe. Sabe o que me faz falar? É ser hetero e invejoso...

    Abraço último (neste domingo, claro!)

    Ruben

    ResponderExcluir
  34. Seu texto da Origem do mundo foi para mim um didático aprendizado. Pude observar os diversos pontos de vista expressos e pude concluir que, sem generalizar, a maioria, felizmente, tratou o tema com naturalidade.Parabéns mana!

    ResponderExcluir
  35. Claro que vc alisou... e o maior!!! kkkkk beijo! Cultura.. viajar... tem coisa melhor?

    ResponderExcluir
  36. Os séculos passam e as fixações humanas continuam as mesmas.

    ResponderExcluir
  37. Bem... moralidade e cultura a parte, sua postagem está muito animada por esse símbolo da fertilidade.
    Por meu lado e falando por mim, com minha cultura e tudo mais achei muito lindo esse pênis, e deve ser louvado mesmo.
    Apesar de que hoje em dia com o avanço da medicina já foi comprovado que a fertilidade poder ser efetuada até sem o ato sexual ou até mesmo sem a célula masculina chamada de espermatozóide.
    Mas meu voto é para o pênis ao vivo, natural e cores e em calor rsrs.
    Eu disse cultura e moralidade à parte, pelo prazer e praticidade que seu uso nos oferece.
    Minha reverência e deve ser ótimo alisar com as mãos e com naturalidade natural.
    Bjus

    ResponderExcluir
  38. Olá amiga, é com prazer que volto ao seu espaço. O post está esplêndido,é caso para perguntar: isso serão chinesices? Por vezes, as coisas simples e naturais são encaradas com maldade desnecessária, é de facto uma questão de cultura. Contudo, aqui, também temos que por outra questão: quem tem acesso à cultura e como? Em Portugal, por exemplo, a cultura parece ser um inimigo dos políticos em geral e de algumas entidades, em particular. É triste constatarmos esta realidade, mas é o que temos. Daí que o episódio da apreensão dos livros não me tenha causado qualquer espanto. Tudo de bom e ficamos à espera dessas fotos...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não aprovo comentário ANONIMO!

Postagens mais visitadas deste blog

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Entrevista com Sérgio Viotti

Saturno, também na malha de Gianlucavacchi!