Pular para o conteúdo principal

Cão Amigo, ou Amigo da Onça?











Sei que vou comprar uma briga com muitos de vocês, mas por favor me entendam. Não sou uma farça virtual,
sou uma pessoa real, com defeitos e qualidades.

Primeiramente é preciso gostar, ter o dom, se dedicar àquilo tudo que você se predispõe a fazer e a ter.
Na infância, tive apenas um cachorro. Sua raça? Setter Irlandês, chamado Tatan. Assim como este marrom.



Minha mãe gosta de bichos, meu pai morria de medo,- fui na dele. Mas me falta jeito, coragem, tudo! Se um deles, ainda que filhotes rosnar para mim, amolece minha coluna, tamanho medo que sinto!


Por algumas vezes tentei me superar. Tivemos um Labrador. Maravilhoso! Porém, em apartamento. Uau! Ninguém mais para cuidar dele, só eu, justo eu! Pedi socorro e dei nosso amigão depois de um ano para um apaixonado desta raça, que mora em fazenda e tem até piscina para eles. Quando não encontrava o que roer, raspava com as unhas a parede, e fazia buracos, acreditem.


Eles precisam de espáço divertimento. (Se eu tivesse uma casa, teria um ainda só para me provocar). Meus filhos, ficaram quase um mês sem falar comigo. Foi horrível a separação, todos sofremos demais. Lembramos dele diariamente.


Neste carnaval, fiquei com com um Boston Terrier do meu filho e de sua namorada, que moram juntos, - é uma família. Aparece na foto quando chegou em casa com 45 dias. Ele tem hoje, quatro meses - é uma criança! No entanto, precisa e pede carinho em tempo integral, tem intestino, e bexiga; quer comer como um peixe, e mesmo tomando banho, tem um cheirinho característico que é mesmo para os que têm o olfato diretamente ligado ao amor por estes animais.


Ele é divertido, carinhoso, obediente, inteligente, provocador, adivinhão, roedor, destruidor, impossível, mexilhão, engraçado, sapeca, - mas não descansei um segundo sequer neste carnaval.


Se eu tivesse saído para desfilar em quatro escolas de samba, estaria menos cansada. Perdi a conta de quantas vezes troquei o jornal do chão. Quantas vezes passei pano e torci para tentar manter a casa em ordem e limpa. Quantas vezes limpei suas patinhas, seu rabinho... Quantas vezes, dei colo a ele, e mais e mais... Quando minha vontade era a de ler, escrever, dormir e até beber! Me deu vontade de virar alcoolatra!


Fora a responsabilidade. E se acontece algo com o bichinho? Não amo de paixão, mas não maltrato. Tenho alguns tapetes em casa, ele descobriu o avesso deles e comeu o registro que eles trazem alí. E o couro debaixo que acompanha como se fosse a bainha do tapete salvei parte dele e tentei tirar de dentro de sua boca, outros pedacinhos...


Passou mal e vomitou por três vezez no meio da minha sala, e depois na cozinha.


Ontém saí para o cinema, eu estava estressadaça! Imagino que com saudades dos donos, ele começou a fazer arte... Destruiu sua caminha linda e bem estruturada na costura. Virou -a de lado, parecia uma tartaruga andando pela cozinha até virar a cama, conseguiu destruir o zipper e arrebentou toda a costura dela até onde deu.


Come cocô. (?!?!?!?!?!?!) Entrei na internet e procurei saber o motivo disto. São várias as versões. Vomitou no dia seguinte. Quase morri de susto, de nojo, de raiva, de pena dele, e de dó de mim! Judiação de mim!!!


Quando meu filho e nora ligaram dizendo que estavam chegando... Senti que meu carnaval em plena véspera de quarta de cinzas estava começando! Ah, que alívio!


Pensei. Um cãozinho dura em média 15 anos. É capaz de eu morrer e ele continuar vivo. Mas se fosse meu, passaria 15 anos de minha vida, trocando jornais de xixi e cocô deste companheirinho lindo, compraria muitas vezes ração importada, pois ele não se adapta a outra. Vacinas, veterinário e até psicólogo!!! Fora o adestrador, banho e tosa. Caramba! 15 anos de Dedicação do meu tempo, minha paciência, minha higiêne integral? Pois, se a casa precisa ficar limpa, há que se cuidar dela e dele!


E chego a conclusão que gosto deles mesmo em filmes, fotos, ou quando vejo de longe!


Admiro quem se dedica, quem cria, e dá o seu tempo para eles, mas eu confesso, me rendo. Não consigo!
















Comentários

  1. Não se culpe querida... Isso acontece mesmo. Meu Bento me deixa maluco, cansado. Ha de se ter dedicação mesmo. É assim. Eles se integram a familia com, mas exigem mesmo demais da gente... Fora, isso, rindo muito aqui com teu desespero... hauihs

    ResponderExcluir
  2. Con
    Dei gargalhadas escandalosas com seu texto. Eu tambem me me sinto assim.
    Ah! Já providenciei as passagens, vou dia 8 e volto 28.
    bjokas e se cuida

    ResponderExcluir
  3. Bom, isso näo é assim sempre.
    É o primeiro ano.
    Depois êles aprendem, e säo muito educados. Mais claro, tem que educá-los.
    Responsabilidade, claro!!!
    É um ser vivo que têm a sus necesidades, físicas de afeto, médicas...
    Eu agora tenho duas yorkshires,fêmeas, que pesan cada uma quasi 2 quilos.
    Säo minha sombra. Minha compañia, dormen nos peis da minha cama.
    Uma escolheume de dona e a outra o meu marido, assim que estamos encantados.
    O primeiro ano é dificil, mas depois säo 13 ou 14 años de entrega, carinho, fidelidade, companhia, é um prazer....

    Um beijo, amiga. Agora têm que descansar.........

    ResponderExcluir
  4. Felipe, Fatima e Luna, morri de medo de postar isto aqui, mas confesso que não podeira deixar de dividir com vcs um sentimento que vejo ser tão nobre dentre muita gente que conheço e que se dedica.

    É uma questão de jeito, de gostar muito e eu sou o "sem jieto mandou lembranças" neste caso. Mas que eles são lindos, ah, isto são. Eles são chantagistas... Danadinhos.

    Obrigada, a todos, um beijo, CON

    ResponderExcluir
  5. CON
    Me diverti com o seu texto. Eu já passei por isso quando tentei ter um cãozinho dentro do meu apto.
    Eles são lindos e amigos mesmo, mas que dão muito trabalho ahh isso sim.
    Não tenho mais jeito e nem ânimo para ter um cão novamente.
    Você já esta sabendo do fim do blog coletivo, pois acabei de ler seu comentário no Varal de Idéias.
    E... o que você disse foi uma verdade.
    Mas, o bom de tudo é que não perdi meus amigos que são meus acompanhantes nos outros que tenho.
    Espero que seu carnaval no próximo ano seja diferente.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. gostei do que vi e li
    parabens pelo trabalho
    boa semana
    beijinhos
    Carla

    ResponderExcluir
  7. Conceição, devo dizer que sou apaixonada pelos animais, mas não consegui deixar de dar boas gargalhadas com seu texto.
    Eles são realmente lindos, fofos, mas, às vezes, até quem ama MUITO esses bichinhos se estressa.
    Eu tenho um gato que é pior que bebê recém-nascido. Qualquer mudançazinha no clima e lá vem ele espirrando, com a garganta inflamada e miando rouco.
    Você já ouviu um gato rouco?
    Pois bem o meu é assim.
    E também não preciso de despertador em casa. Basta o dia clarear para ele abrir o miador na porta no quarto. E você não consegue mais dormir. Ele quer porque quer companhia.
    Depois, durante o dia, parece uma sombra. Sempre está onde estamos e fica bem embaixo dos pés. Precisa ter cuidado para não pisar nele. Não desgruda por nada.
    É isso aí. Tudo tem seu preço. Ele já tem 17 anos e a gata 18. Quase um record de vida para os felinos, mas estão firmes e fortes. Ainda fazem estrepolias.
    Abraço Querida e bom descanso agora pra você.
    Angel

    ResponderExcluir
  8. KKKKKKKKKKKKKKk Angel que bom que estou me fazendo compreender. Admiro muito isto tudo que vcs contam, porque haja paciência mesmo! 17 e 18 anos, que gracinha. Eles parecem uns tigres, onças, são felinos, da família e portanto lindos! Eu ainda não contei aqui sou apaixonada por cavalos, tigres, todos os bichos grandes... Imagina eu criando dentro de casa um cavalo! kkkkkkk Meu Deus! Quanta loucura a nossa não é? Acredito que eles precisam mesmo do canto deles, e como todo ser vivo, quer carinho, atenção e é carente, como nós... Mas admiro e tiro meu chapéu para vcs que acordam cedo por causa de um gato! Isto é louvável! Invejável.

    Os louros são seus minha amiga, pelo desprendimento e dedicação.

    Um super beijo, adorei vc aqui, CON

    ResponderExcluir
  9. Hahaha... adoro, adoro a forma como vc escreve é como se conversasse pessoalmente com a gente, e nos coloca dentro da sua estória de forma bem humorada... dei boas risadas, e senti muita pena de vc, porque entendo bem esse sentimento de gostar e não querer cuidar de animais, é estranho mesmo.

    Querida amiga, seu apoio e incentivo a Blogagem Coletiva tem sido essenciais, obrigada pelas suas passadinhas pelo meu blog, deixando suas gentis palavras e esse sorriso lindo por lá!

    bjs!

    ResponderExcluir
  10. Tem toda razão.Eu comprei Brisa, uma pincher zero, para fazer companhia a meus filhos quando eram pequenos mas sobrou para mim.Ela nunca foi assim como vc descreveu mas depois de 13 anos, estou cansada.Agora, por ex, está no meu colo.Cansa!Empata, esta é verdade...

    ResponderExcluir
  11. Minha filhota! Que cachorrada fizeram com voce! Pois é, cachorros, a turma vai lá comprar, paga alto para os ter, mas cavalos dentro de casa, santa...tem gente que os tem que aturar muito tempo e só se livra deles com o divórcio. KKKKKKK
    beijo da mamis

    ResponderExcluir
  12. Cara amiga, dei comigo a ler esta "história" longa como se fosse um poema...
    Verdade! Lia e sentia a poesia a escorrer pelas palavras, com um sorriso ingénuo, compreendendo cada momento e tudo aquilo que ias sentindo...
    Quando acabou, a história "desagradável" virou realidade... e... é assim mesmo!
    Também gosto de cãozinho e gatinho mas não tenho espaço pra eles...
    E como eles precisam de liberdade para serem alegres e felizes... só quem tem condições deveria possuir o seu animal de estimação!...

    ResponderExcluir
  13. Essa descrição é do começo de vida do cão no apartamento, ele aprende depressa e criando hábitos de higiene o pior passa ao fim de algum tempo. Com o primeiro ano vem a calma e quem quer controlar o odor do cão tem de moderar os banhos. Ele come cocó por falta de vitamina K e só acontece quando são novos.

    Por mim prefiro gatos, ideais para habitar o mesmo espaço que nós e sem nenhum desses inconvenientes, mas estou a passar uma situação dessas por causa de um pequeno cachorro que deram à minha filha.

    Portanto, compreendo-a perfeitamente.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Con,
    você tem o direito de gostar ou não. Animal dá trabalho mesmo. Eu adoro cachorro, mas não quero ter um. Principalmente porque não tenho " saco" de levar na rua. Quem tem, deve cuidar bem. Quem não quer, não deve se culpar. Eu tenho uma gata. Dá menos trabalho. Mesmo assim, animal prende, dá despesa e quer atenção. É quase uma criança.
    Bom....agora o carnaval já passou e ele voltou pra casa. Calma, mulher ! risos
    Beijão

    ResponderExcluir
  15. Oi, linda...

    Animais. Eu os adoro, Con. Amanhã uma Pastor do meu filho vem pra cá... vou ficar uns dias com ela para eles viajarem. O difícil é eu devolvê-la depois..É ruim , hein?

    Beijão, garota querida.

    ResponderExcluir
  16. Ah! minha amiga, me identifiquei ainda mais com você.
    Adoro animais, nas casas dos outros.
    Adoro ve-los bem cuidados, adoro brincar com eles, mas não quero aqui comigo.
    Primeiro por que me apaixono, e sofro por eles.
    Prefiro ficar sem eles.
    Beijos meu bem.

    ResponderExcluir
  17. Che tenerezza queste immagini
    un abbraccio forte forte
    SAba

    ResponderExcluir
  18. Querida Con,

    Adorei ler o seu texto, apesar de gostar muito de animais. Gosto tanto, que tenho um labrador e dois gatos. Um mini zoo num apartamento de 5º andar. Dão realmente muito trabalho, sobretudo o cão, porque tem de ir à rua, quer faça frio ou calor e a sua queda de pêlo nunca permite ter a casa limpa. Mas é como diz: quem opta por ter animais de estimação, tem de saber que são precisos alguns sacrifícios e condescender em muitos aspectos.
    Mas feito o balanço, acho que vale a pena. Escolheram-me como "mãe" e como vocês dizem, não "desgrudam" de mim!...rsrs
    Um beijinho,

    Milouska

    ResponderExcluir
  19. NOSSA ADORO CAES TENHO 1 LABRADOR 1 ROTVALEY 1PERIQUITO E 2 GATOS E GANHEI UM PINTYR UM MINI ZOOLOGICO EM UM LOTE COM 3 CASAS MINHA MAE ALUGA TIXAU SAI XITARA SAI ROTAN QUIETINHO PRA TOMAR MAMADERA PANTERA VCTEM POUCOS DIAS CALA A SUA BOCA TEDY
    TIXAU AU AU CLORO

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não aprovo comentário ANONIMO!

Postagens mais visitadas deste blog

Um dia você aprende

https://youtu.be/f6Hnwx44AnU




Um dia a gente aprende que...

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E você aprende que amar não significa apoiar-se, que companhia nem sempre significa segurança, e começa a aprender que beijos não são contratos, e que presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança; aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo, e aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais, e descobre que se l…

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Estou indignada por ler matérias em jornais e revistas onde jornalistas e médicos escrevem a respeito da pílula anticoncepcional como sendo o meio mais seguro de se evitar filhos, porém...

Nos programas de rádio e TV, a mesma coisa acontece. O que eles não abordam jamais, é o perigo que a pílula anticoncepcional causa para a mulher. (E nem todos os médicos tem essa preocupação com sua paciente).

Ainda hoje, dia 8 de Setembro li no caderno Folhateen - da Folha de S. Paulo, matéria de Jairo Bouer em sua coluna - SEXO E SAÚDE, onde ele aconselha como forma segura para se evitar a gravidez indesejada, o uso da pílula, e ainda escreve que, - menos de 20% delas são adeptas a isto, pedindo que se repense no caso, induzindo a mulher a usar a pílula.

Muito bem. O que as pessoas não sabem e não interessa dizer, é que a pílula e a reposição hormonal podem causar na mulher graves problemas como a TROMBOSE.

A trombose pode se transformar em uma EMBOLIA pulmonar conhecida como TEP - e isto pode matar…

Cozinhando com a faca na mão

Que coisa mais linda ver as crianças participando da vida como se fossem fazer suas próprias coisas, como a sua comidinha, ou arrumar seus deveres e sua caminha e coisas do  dia a dia. 
Lamento o fato de não termos alguns costumes  como temos por exemplo no Japão. Ví dia desses um filme das sobrinhas de uma amiga que nasceram lá e desde muito cedo,  na escola, elas todas trabalham com facas e aprendem a cortar peixes e a fazerem seus pratos tradicionais, rebuscados ou não. Eles acreditam que é interessante saberem mexer com o perigo, como o instrumento faca,  ensinado-as como manipular.  


 Eles tem total razão