Pular para o conteúdo principal

Tudo é uma questão de educação


Muito se falou da dona da Daslu na semana passada, em que ela esteve presa por umas horas. Muitos se revoltaram, outros se assustaram, alguns se indignaram, pois, a cada instante percebemos que na Justiça, há pesos e medidas diferentes para todos.

Muitos políticos, empresários deveriam fazer um belo estágio na cadeia. Alguns assassinos – idem! E dona Eliane Tranchesi precisa pagar o que deve e cumprir sua pena, que me pareceu um tanto quanto exagerada, sem esquecermos que estamos falando de Brasil.

Mas, como a esperança é última que morre, desejo a ela muita saúde, e que Lei seja justa para todos.

Meu assunto principal nem é ela, nem a cadeia, mas a educação da nossa gente. Confesso estar um tanto quanto cansada de enfrentar o brasileiro que a meu ver está totalmente “Lost”, como disse Claudio Macksud no programa de rádio que participou comigo semana passada.

Nossa gente não consegue raciocinar! Mesmo em benefício próprio, - isto não existe para eles! Você caminha na calçada da Av. Paulista e percebe que as pessoas andam aos trancos e barrancos, se batem uns nos outros e quase derrubam o próximo. A nossa gente anda sem rumo! Parecem bichos a procura de comida. Correm, correm. Estou assustada e desanimada, pois, eles não têm noção de nada e isto é péssimo. Será que é difícil entender que um lado da calçada é para ir e outro pra vir? Em uma escada, uns descem, outros sobem e o lado deve ser invertido e nunca o mesmo para as duas funções. Isto é complicado demais, ou eu estou ficando louca?

Andei sábado e terça-feira na 25 de Março. Rua de comércio intenso aqui em Sampa. Há momentos que nos sentimos em uma fila, e ai de nós se tentarmos andar na "linha" racional... Nem é possível isto, pois, todos andam juntinhos, sentindo bem o cheiro um do outro, esbarrando, se batendo, - uns vêm, outros vão, tudo no mesmo espaço. Como pode? Será que eles não conseguem entender que seria mais viável, mais confortável, lógico, higiênico e rápido, se andassem na mão e contramão? Se um povo nem andar na rua sabe, nem entrar no elevador deixando que a saída prevaleça, o que será que ele sabe?

É assustador quando as pessoas não entendem o seu próprio caminhar.

Comentários

  1. Conceição, está a precisar ir para o campo. Na cidade isto não vai ficar melhor!

    ResponderExcluir
  2. Pior vai ser quando os "animais" também chegarem no campo Con...

    ResponderExcluir
  3. Acho que estamos sem saída:

    Se correr o bicho pega, se ficar o bixo come ou vice-versa...

    Esperança 'cança'!

    É a tal de EDUCAÇÃO...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Conceição,
    O corre-corre das cidades.
    Aí e aqui.
    Parecemos loucos a correr, a correr...
    Que rosto bonito está hoje no perfil. Condiz mais contigo, com as mensagens que passas.
    E, afinal, como eu desconfiava, tb és peixe!
    Um abraço, calmo na noite, de Lisboa
    Lília
    PS: amanhã, um menino talentosa tem post no ARCO!
    Dia 3 há aniversário de alguém.
    Dia 3 ou 4, post da Cris

    mais que não seja, aparece e espalha um ar da tua graça, já nos habituámos, rs!

    ResponderExcluir
  5. Que bom ler tudo isso!!!
    to indo em são paulo em Maio e estou com muita vontade de fazer varias comprinhas nesta mesma rua...ashuahsu, fiquei um poucquinho assustada e imagineeeeeiii milhooooesss de pessoas ..aushuahsua
    Mas acredito que seja algo parecido...
    mil bjuxx!!!!

    ResponderExcluir
  6. Será que uma coisa não está diretamente ligada à outra?
    Um povo sem educação, sem cultura, vai cobrare ou analisar atitudes dos magistrados?
    Principalmente por que a população sabe que ordem de juíz deve só ser cumprida, sem ser questionada. É isso que você ouve por aí não?
    Na verdade, nosso país sempre foi carente de alguém que o administrasse com amor, e não apenas com interesses próprios, e isso foi levando por décadas, um povo semi analfabeto, sem nenhuma cultura, sem saber viver em coletividade.
    Enfim, falta tudo, nem saberia enumerar as faltas.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  7. Cara Conceição:

    Ajunte paciência, pois a coisa só tende a piorar! É tudo falta de uma educação familiar básica de civilidade, que o povão não tem condição de transmitir aos seus descendentes, porque não a teve, e a escola, nesta bosta de país, parece que também jamais a terá.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Olá CONCEIÇÃO
    Seja bem vinda!
    Não se preocupe com a falta de tempo, a mim também está a acontecer o mesmo!
    já não consigo mais visitar os amigos como dantes fazia.
    Beijinhos
    G.j.

    ResponderExcluir
  9. alo CONCEIÇÃO

    APRENDENDO A VER E OUVIR
    COM AMIGOS INTELIGENTES FALAR
    ENERGIAS FLUIRÃO.

    FAÇO EU A MINHA PARTE
    CADA UM DE NÓS A SUA
    ESTA ENERGIA SE ESPALHARÁ
    EM MOMENTOS QUE ACREDITARMOS

    RICARDOgaropabaBLAUTH

    ResponderExcluir
  10. Seu belo texto me lembrou o que dizia Fernando Pessoa no Livro do Desassossego:


    “Vai inconsciente. Vive inconsciente.
    Dorme, porque todos dormimos.
    Toda a vida é um sonho.
    Ninguém sabe o que faz, ninguém sabe o que quer, ninguém sabe o que sabe.
    Dormimos a vida, eternas crianças do Destino”.



    Um abraço.

    ResponderExcluir
  11. ótima reflexão! realmente é um absurdo quando as pessoas nem esperam a gente sair do elevador para poderem entrar, ou nem sabem andar num sentido nem usar direito a escada rolante...

    gostei do seu blog! vou seguir!

    ResponderExcluir
  12. Amigo pode ser de onde for
    Mas se existir amizade
    Sempre se lembrará de nós
    Amigo pode estar do outro lado do oceano
    Mas se o é de verdade
    Sempre nos manda um abraço
    Amigo pode estar em dificuldade
    Mas sempre tem uma palavra amiga para nós
    Amigo é aquele que te limpa a lágrima
    Não o que faz com que ela caía
    Sempre que precises de mim meu amigo ou amiga
    Estarei por perto lembra-te
    E eu terei junto de teu coração

    Um abraço do amigo Eduardo Poisl

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não aprovo comentário ANONIMO!

Postagens mais visitadas deste blog

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Estou indignada por ler matérias em jornais e revistas onde jornalistas e médicos escrevem a respeito da pílula anticoncepcional como sendo o meio mais seguro de se evitar filhos, porém...

Nos programas de rádio e TV, a mesma coisa acontece. O que eles não abordam jamais, é o perigo que a pílula anticoncepcional causa para a mulher. (E nem todos os médicos tem essa preocupação com sua paciente).

Ainda hoje, dia 8 de Setembro li no caderno Folhateen - da Folha de S. Paulo, matéria de Jairo Bouer em sua coluna - SEXO E SAÚDE, onde ele aconselha como forma segura para se evitar a gravidez indesejada, o uso da pílula, e ainda escreve que, - menos de 20% delas são adeptas a isto, pedindo que se repense no caso, induzindo a mulher a usar a pílula.

Muito bem. O que as pessoas não sabem e não interessa dizer, é que a pílula e a reposição hormonal podem causar na mulher graves problemas como a TROMBOSE.

A trombose pode se transformar em uma EMBOLIA pulmonar conhecida como TEP - e isto pode matar…

Cozinhando com a faca na mão

Que coisa mais linda ver as crianças participando da vida como se fossem fazer suas próprias coisas, como a sua comidinha, ou arrumar seus deveres e sua caminha e coisas do  dia a dia. 
Lamento o fato de não termos alguns costumes  como temos por exemplo no Japão. Ví dia desses um filme das sobrinhas de uma amiga que nasceram lá e desde muito cedo,  na escola, elas todas trabalham com facas e aprendem a cortar peixes e a fazerem seus pratos tradicionais, rebuscados ou não. Eles acreditam que é interessante saberem mexer com o perigo, como o instrumento faca,  ensinado-as como manipular.  


 Eles tem total razão

Entrevista com Sérgio Viotti

O Jornal Modus Vitae, em Maio de 2007, conversa com Sérgio Viotti, quando ele interpretou um personagem da peça “O dia em que raptaram o Papa”. Viotti foi “Alberto IV”, um papa que imaginou ser por algumas horas, um transeunte comum pelas ruas de Nova York, mas o taxista que o levaria para a aventura - anônimo, judeu, o reconheceu prontamente e o seqüestrou.

O desenrolar da peça teatral de grande sucesso, é uma comédia, e Sérgio Viotti é mais que um ator, ele é mesmo o Papa. Procuramos essa “santidade” do teatro nacional, próximo aos seus 80 anos, e descobrimos que o “Papa” é mesmo pop.

Foi mais ou menos assim que abro a entrevista com Viotti, no entanto, é preciso dizer aqui, que eu me emocionei demais com a peça. Na verdade, muita gente se emocionou. Há momentos de total silêncio do público, e respeito, tamanha figura que ele travestido de PAPA representou.

Assisti a peça, no dia da estréia, algumas pessoas foram entrevistadas na saída ainda tomadas pela emoção. A TV Gazeta vem em minh…