Pular para o conteúdo principal

Olimpíada de Pequim

Apesar do número pequeno de medalhas que tivemos na Olimpíada de Pequim, senti em grandes momentos muita emoção. Impossível não se arrepiar quando nossa Bandeira Nacional verde e amarela sobe ao lado de outras para que todos do Estádio e do mundo, conheçam ou revejam nosso maior símbolo.
Emoção também senti em momentos que outros países conseguiram seus feitos. Há anos estive na China, em Pequim, e ninguém sabia onde era o Brasil exatamente. Depois de muito esforço em explicar a eles de onde era o nosso grupo de cinco pessoas, de olhos redondos e claros! Coisa rara para eles naquele tempo. Um dos chineses nos entendeu e disse: - "PILI" "PILI" e meu marido identificou que ele se referia a Pelé, e logo chegou ao Brasil, nos reconhecendo.
Hoje em dia, tenho certeza que com a internete, com os jogos olímpicos realizados na China e com esta aproximação em forma de festa, relacionamentos e os jogos feitos por lá, eles sabem melhor o que é o Brasil e quem somos nós. Sabem da nossa alegria, da maneira descontraída que somos e como somos "craques" em quebrar protocolo e sorrir.
Grande honra nos deu o nadador Cielo. Maureen Maggi, as meninas do volei do grande técnico José Roberto Guimarães. Ele também merece o ouro! Nossas medalhas de bronze, de prata, tudo! Afinal, um país que não tem apoio do governo e precisam implorar para que os industriais, homens que são donos de empresas, grandes executivos, os estimulem com dinheiro e apoio total, nem sempre acreditam no valor do ser humano e, portanto, não ajudam os nossos meninos a representarem melhor o nosso Brasil. Fico contente de qualquer maneira. Somos mesmo pequenos diante de tantos países. Não tivemos guerras, nem passamos a fome que passaram na China, na Rússia, na Europa e, portanto, ficamos no cantinho do mundo, donos apenas da maior fazenda do planeta Terra, e com muita calma vamos ganhando os presentes dessa gente que esteve lá do outro lado do mundo.
Parabéns à China pela apresentação belíssima da Olimpíada de 2008. Roupas lindas, cores encantadoras, movimentos perfeitos, disciplina explícita, criatividade infinita, porém, pisaram na bola com o sumiço da "vara de salto" da Murer. Lamentável o que se passou com ela. Agora vamos aguardar algo mais que há de vir. Sempre temos ainda mais presentes.
O enceramento também foi bonito demais. Singelo, criativo e como de costume, neste final de evento, a bola foi passada ao país que cediará a Olimpíada de 2012 na Inglaterra, em Londres. E para a próxima, nossos atletas estarão mais maduros para encarar tudo outra vez.
É apenas no esporte que temos os olhos rasos d'água de emoção e alegria com os nossos atletas sem limites no exercício de doação do próprio corpo como demonstração de raça e garra para que uma NAÇÃO possa ouvir o seu hino em vários lugares do mundo!
Aos atletas que pediram desculpas ao povo brasileiro, senti naquele instante que eu era pequena demais diante de tanta determinação. É preciso entender os atletas, sua dedicação e propósito, mas, não posso falar por todos, embora tenho quase a certeza de que nosso povo não é padrasto e sim pai de verdade, de alma, de coração, - somos todos Brasil nessa hora. Afinal, estar lá dentre eles, já é o máximo!
Parabéns a todos que são nossos filhos que estiveram por lá.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pílula Anticoncepcional - Assassina!

Estou indignada por ler matérias em jornais e revistas onde jornalistas e médicos escrevem a respeito da pílula anticoncepcional como sendo o meio mais seguro de se evitar filhos, porém...

Nos programas de rádio e TV, a mesma coisa acontece. O que eles não abordam jamais, é o perigo que a pílula anticoncepcional causa para a mulher. (E nem todos os médicos tem essa preocupação com sua paciente).

Ainda hoje, dia 8 de Setembro li no caderno Folhateen - da Folha de S. Paulo, matéria de Jairo Bouer em sua coluna - SEXO E SAÚDE, onde ele aconselha como forma segura para se evitar a gravidez indesejada, o uso da pílula, e ainda escreve que, - menos de 20% delas são adeptas a isto, pedindo que se repense no caso, induzindo a mulher a usar a pílula.

Muito bem. O que as pessoas não sabem e não interessa dizer, é que a pílula e a reposição hormonal podem causar na mulher graves problemas como a TROMBOSE.

A trombose pode se transformar em uma EMBOLIA pulmonar conhecida como TEP - e isto pode matar…

Cozinhando com a faca na mão

Que coisa mais linda ver as crianças participando da vida como se fossem fazer suas próprias coisas, como a sua comidinha, ou arrumar seus deveres e sua caminha e coisas do  dia a dia. 
Lamento o fato de não termos alguns costumes  como temos por exemplo no Japão. Ví dia desses um filme das sobrinhas de uma amiga que nasceram lá e desde muito cedo,  na escola, elas todas trabalham com facas e aprendem a cortar peixes e a fazerem seus pratos tradicionais, rebuscados ou não. Eles acreditam que é interessante saberem mexer com o perigo, como o instrumento faca,  ensinado-as como manipular.  


 Eles tem total razão

Entrevista com Sérgio Viotti

O Jornal Modus Vitae, em Maio de 2007, conversa com Sérgio Viotti, quando ele interpretou um personagem da peça “O dia em que raptaram o Papa”. Viotti foi “Alberto IV”, um papa que imaginou ser por algumas horas, um transeunte comum pelas ruas de Nova York, mas o taxista que o levaria para a aventura - anônimo, judeu, o reconheceu prontamente e o seqüestrou.

O desenrolar da peça teatral de grande sucesso, é uma comédia, e Sérgio Viotti é mais que um ator, ele é mesmo o Papa. Procuramos essa “santidade” do teatro nacional, próximo aos seus 80 anos, e descobrimos que o “Papa” é mesmo pop.

Foi mais ou menos assim que abro a entrevista com Viotti, no entanto, é preciso dizer aqui, que eu me emocionei demais com a peça. Na verdade, muita gente se emocionou. Há momentos de total silêncio do público, e respeito, tamanha figura que ele travestido de PAPA representou.

Assisti a peça, no dia da estréia, algumas pessoas foram entrevistadas na saída ainda tomadas pela emoção. A TV Gazeta vem em minh…