sexta-feira, 23 de maio de 2014

Não acredito.

Apaixonados

Quando se pensa que o amor não vai mais nos atormentar, ele chega de mansinho e toma conta de todo o nosso corpo. O danado ocupa a nossa mente e alma e tem a fantástica capacidade de alegrar o nosso coração.  Um belo dia, começamos a sentir coisas que não sentíamos a muito e muito tempo e nos damos conta que estamos ligeiramente doentes de amor. 
São as batidas mais incríveis que um coração pode sentir, a do amor.

Nos tornamos um pouco mais jovens, 
mais inconsequentes, alegrinhos, irresponsáveis...

Passamos a ver a vida mais colorida. 
Mais leve.  
Temos a sensação de as vezes estar voando, voando!
Rimos de tudo.
Difícil acreditar que é possível amar de novo. 

É fácil estar no trânsito, no trabalho, na madrugada mal dormida com você  na minha cabeça.

Você pensa em mim, tenho certeza disso. Eu penso em você.
Nossos pés estão no chão, nossas mentes brigam entre um sentimento e outro, mas tá difícil segurar essa atração. Coração e mente… 

Basta que seus olhos encontrem os meus para que nossa alma nos diga que algo acontece e que ainda não consiguimos administrar. Flutuamos por uma fração de segundo nesse instante. Desviamos o pensamento, disfarçamos nossa vontade, nosso desejo, nosso amor e deixamos mais um dia passar.

As vezes controlo minha mão que vai de encontro a sua.
As vezes me seguro para não te dar um beijo na boca e te encher de carinho.
As vezes você parece tão meu e eu tão sua.
Não acredito que estou vivendo tudo isso.

A vantagem é que agora esse sentimento é calmo. 
Controlável, gostoso de segurar  e de sentir, mas quando por algum motivo  seu rosto encosta no meu, ou que meu corpo se envolve em seu abraço, ainda que timidamente, eu  me sinto tão bem. 

Gosto do teu cheiro e do teu toque e se eu pudesse eu diria: "Ah! Me abraça forte! Encosta todo seu corpo no meu e deixa o mundo ficar em silêncio um pouquinho só pra eu te sentir de verdade, só pra eu te sentir pela primeira e última vez, - só pra gente poder viver de verdade esse desejo surpreendente que me tira do chão e só isso bastava. Você me é tão próximo e ao mesmo tempo tão distante, tão estranho…"

Não sei o que é isso exatamente.
Não sei se te quero totalmente.
Não sei se daria certo.
Não sei se você sente a mesma coisa.
Não sei direito quem você é.
Só sei que eu te quero toda noite e quando acordo, me distancio.

Nos encontramos…   nos sentimos e tudo acontece.
Você vai embora e eu também.
Depois sinto algo como se fosse saudade.
É ruim ficar sem você.
É estranho ficar com você…
Mas eu te quero.
Mas eu te quero!

Não acredito que isso esteja acontecendo comigo.








sábado, 17 de maio de 2014

Eduardo José Farah, ex presidente da Federação morre


Eduardo José Farah trabalhava no comércio de São Paulo com seu tio, Elias Zogbi. 
Morou em Campinas, torcedor do Guarani e depois foi presidente do Clube.


Casou com Josefina Zampietro, tiveram quatro filhos, dois meninos e duas meninas. Eliana, José Jorge, Eduardinho e Helena. São três netos.



Dr. Farah realizou um trabalho amplo no futebol paulista e foi polêmico, estava na mídia o tempo todo.

Trabalhei com ele mais de cinco anos. Fui Diretora de eventos na FPF e anterior a isso fiz parte da Diretoria Social Feminina por quase três anos ao lado de Josefina, sua mulher, a presidente. Ele me deu um quadro no programa de televisão que criou  e realizou "Futebol Paulista e Você". Fiz três anos de rádio Record com esse programa  nessa versão ao lado de Fiori Gigliotti, Maltone e outros.

Dr. Farah, uma pessoa extremamente bondosa e ao mesmo tempo, bravo, exigente. 

Adorava contar piadas, gostava de almoçar na FPF e receber amigos e convidados diariamente. Era um evento, no minímo haviam 22 convidados. Por lá passaram dirigentes de futebol, industriais, jogadores, políticos, advogados, juizes, jornalistas, e muito mais. Seu humor oscilava um pouco. Ora estava muito bem, ora era fechado. 



Dr. Farah  implantou o spray  na formação de barreira e logo mais, o mundo todo adotou o sistema.

Promoveu uma viagem de navio para os que eram ligados ao esporte, foi um sucesso e evento único!
Em Paris, ligado a FIFA, fez também uma linda festa por alguns dias, com almoço, sendo um deles navegando no Rio Sena. Tudo muito alegre e bonito para promover o futebol. O mundo noticiou tudo isso.


Construiu  um novo prédio para a FPF, e realizou seu sonho. 


Fêz a liga de futebol Nacional, mas durou pouco e esse assunto deu pano para manga.

"Sonhava, em participar das coisas da CBF, e sua presença foi notada". 

Fêz parte de um dos departamentos da FIFA. 

Ele foi para muitos, um homem centralizador do poder e claro, cometeu erros e acertos. 

Mas fêz histórias positivas no futebol Paulista.


Morre Dr. Farah  no dia 17 de Maio de 2014. 
Depois de dez meses  de internação. -  parte do tempo, no Sírio Libanês, 
e os últimos quatro meses no Hospital do Coração. 
Um sufoco para todos  da família, que não o abandonou um só segundo.



A visão da Folha de S. Paulo, em matéria dada no dia de sua, hoje, pela manhã.

http://www1.folha.uol.com.br/esporte/2014/05/1455997-ex-presidente-da-fpf-eduardo-jose-farah-morre-aos-80-anos-em-sp.shtml