sexta-feira, 31 de maio de 2013

Casamento, decepcões e frustrações


Sabemos que viver junto com outra pessoa não é tarefa fácil. 
Sabemos também que o homem não vive sozinho. Ele insiste na divisão da companhia e no entanto, não se esmera. E a vida muitas vezes é tocada de forma infeliz, ou no automático, o que pode ser puro comodismo.

Sempre acreditei que viver com alguém pode ser muito bom, enquanto realmente é bom para os dois, e em seguida, para todos e se tiverem filhos então, nem se fala, caso contrário, um abraço! 

A vida é curta para dividirmos com um "estranho" o seu mal humor,  mal criações, frustrações, problemas que ele não sabe resolver, não quer e não procura ajuda.  A prepotência e a pretensão não nos levam a vencer o bem.

A verdade é que o dia a dia cansa a relação, nem tudo são flores,  a vida são momentos. Que tal fazer desses momentos a leveza para todos? Se você fizer uma analise da vida, vai perceber que os ruins estão nas ruas causando mal físico e psiquico para a sociedade. 

Nem sempre a inteligência humana permite isso, e os dias ficam pesados dentro de sua casa.  Lamentável.

Os filhos chegam,  e você é responsável por eles diante da vida, de Deus, do seu casamento e do seu carater, ou não?! Ou você é um super irresponsável? Imaturo. Não estava preparado? Azar seu! Se vira agora para dar o melhor. Ninguém pediu para nascer, isso é um clichê, mas como quase todos, verdadeiro.

Os filhos teem em seus pais a segurança, o exemplo, a imagem a ser construída e Oxalá, que não tenha que ser no futuro, destruída. Faça de tudo para eles serem melhor que você.

Muitas vezes nos casamos iludidos, apaixonados e essa é a alavanca para levar esse sentimento à cumplicidade. Quando atingimos o meio da vida, sabemos o quanto foi bom construir essa relação.  Na rua tem muita gente que não presta.

Casamento não precisa ser para sempre. É preciso ter dignidade para acabar com ele caso esteja te fazendo  algum mal. Só que para isso é preciso ser forte e ter um carater afinado, correto e a vontade!  Você não tem o direito de fazer uma casa infeliz, essa casa é feita de alma, de gente!

Se você é infeliz, complicado, egoísta, feio, vá se tratar. Não se castigue e nem castigue seu parceiro com sua incapacidade. Converse, fale, use a palavra e se expresse. Busque a solução.

Resolva as coisas enquanto elas estão no começo, todos teem direito a uma nova chance.

Seu parceiro já não sente mais o mesmo por você.  Seu egoísmo e silêncio mostraram a ele que a cumplicidade em dividir problemas, situações, e complicações são mal resolvidas. Com o parceiro você não divide nada, se fecha em copas?  Comportamento infantil, ruim e o caminho disso sabemos onde vai dar.  Para você, lá no final poderá ser uma surpresa, mas para os outros que estão de fora, e para o parceiro/a, não. As decepções vão aos poucos mostrando a realidade da relação e na desconstrução dela, uma das partes estará mais forte, embora seja feito dentro de todos, um imenso rombo. Para os filhos um grande estrago.
  

Seus filhos esperam de você AMOR. Seus filhos esperam que você chegue em casa trazendo paz, alegria, carinho. Traga você para eles, o melhor de você e não os problemas que eles ainda nem sabem que existe e não teem capacidade para entender. Não se considere o centro do universo. Problemas, todos nós temos.

Seus filhos, seu companheiro/a, sua família, precisam de você.  Do seu lado bom, do seu esforço em dar a eles não apenas e tão somente o luxo, as aparências, às custas, sabe-se lá, de que; mas sim, a essência do melhor que há em você. Por amor é possível sabia? Só por amor... Será que você tem esse amor? Senão, seria melhor não ter começado. 

As relações são feitas de interesses de alma também. Busque o amor que você encontrará o amor. Se mantendo distante, encontrará a distância e o que poderia ser vitória, será derrota. Acorda enquanto é tempo...


sexta-feira, 24 de maio de 2013

A rede e suas garras!

Incrível como a cada dia que passa gosto mais e mais disto aqui, da internet e suas oferendas.

Na contrapartida,  a cada dia que passa gosto menos do homem e do uso que faz com a palavra. Justamente ela que nos diferencia dos animais irracionais. Estranho isso, não é? Irracionais.  
As notícias ao redor do mundo, são assustadoras. A violência é global! Muita coisa pesada e muita gente má está à solta. Pior, existem aqueles que nos atacam fisicamente, sangrando nossa pele, e outros que atacam nossa moral. Ultimamente, os dois sentidos são uma doença da nossa sociedade, infelizmente.

A literatura seja ela popular ou acadêmica conta da carência das pessoas e da complexidade de cada indivíduo. É difícil lidar com o homem. Cada um reage de uma forma para cada situação e, o que para mim é tranquilo, pode ser para o outro um grande problema, ou uma frustração. 
Isso tudo é abobrinha, meu post é para dizer da pobreza que tenho visto nas redes sociais onde a escrita impera a comunicação, como  no Facebook, por exemplo.

Uma psicóloga especializada em educação  deu entrevista na rádio CBN  e contou que hoje em dia o conceito de sozinho, mudou muito.   Um menino que os pais consideram distante da família por estar enfiado no seu quarto, não se relaciona?  Acreditam seus pais que ele é fechado.  No entanto, ele está com o micro, ou celular se comunicando com o mundo, com vários amigos da classe, do colégio, vizinhos, alguns parentes e até escrevendo em outras línguas, pois a net não tem distância. Ela garante que o menino não tem problema nenhum, e que ele se relaciona sim, e muito bem com os outros. Só que por aqui...

E depois de 20 anos com um micro na minha frente, agora no colo ou no bolso, eu constato que ela tem toda razão. É real a comunicação virtual, é verdadeiro que estamos conectados com o mundo e com todos que simpatizamos, e fazemos  por aqui uma belíssima triagem daquilo que nos interessa e a partir daí, trocamos  nossas figurinhas.

É possível por meio da escrita, uma coisa tão antiga, conhecermos o carater de uma pessoa, para isso temos que ficar atentos. É verdade também que vem muito lixo junto com tanta coisa boa, com tanta informação e até reencontros.  Conhecemos pessoas por várias razãoes e colocamos essa gente na nossa rede, e aí conhecemos por meio dos posts, o que elas tem dentro delas.

O lado bom é sempre transparente, como a luz! O lado ruim, as vezes é sombrio, ora a pessoa amacia a "fala" ora se mostra ruim.  E é uma pena  ver o ser humano e suas garras afiadas - sempre prontas para o ataque, muitas vezes felino.  Para essas pessoas, tenho graças a experiência da vida, e os meus quase 60 anos, algumas formas de me defender.  Bloqueio, seleciono as mensagens que eles podem ver e me afasto aos poucos. Afinal, chego aqui sem eles, e posso terminar sem eles também, já passei da metade da vida.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

A vida é um tremendo aprendizado


Paz aos homens de boa vontade!

Sucesso, aos homens de bem.
Não perca a razão.
Use a cabeça e deixe o coração pra sua casa... para os seus amores.
Não esquente, aprenda com a burrice dos outros, com a maldade dos outros.
Finja que não sabe nada.
E vai de mansinho, vencendo, vencendo!
boa noite!


Escrevi isso ontém, para um amigo, que anda apurrinhado com o ser humano.

Ora, os jovens de bem! Eles existem sabiam? 
Conheço alguns deles, e esse é um. 
Sofre, por acreditar nos outros.


Longe de tudo e de todos, ele enfrenta um novo trabalho. 
A empresa é grande, conhecida famosa e todos a cobiçam, no entanto, como em todo lugar, há sempre aqueles que são víboras, que são prepotentes, que se "acham" e que se perdem... E cheio de dificuldades, embora competente, por isso está lá, se sente humilhado por "profissionais" despreparados, pois a todo momento, puxam o tapete dele.

Dizem que conselho não se dá, no entanto, nós que já vivemos um tantinho a mais,  não conseguimos deixar de dizer algumas coisas. 


E lá vou eu: Meu amigo, quando alguém disser que você não sabe isso ou aquilo, não se sinta humilhado! Diga apenas, que sabe que não sabe, e que está alí para aprender com eles! Fora do assunto, algumas horinhas depois, trate de encaixar uma passagem de um livro que leu, e pergunte para o pessoal como quem não quer nada: Hei, vocês leram o livro tal?  E por aí vai... Viajaram para tal lugar? E blá blá blá! Assim de modo sutíl, vá contando sua vida, sua rica experiência.  Deixe que o outro te admire um pouco, ainda que seja veladamente. Quando você der conta, o tempo passou e tudo foi para o lugar. 

Sem brigas, sem palavras amargas, sem choro, nem vela!

E assim, quem sabe, um dia, longe daquele lugar, eles se lembrem que você passou por lá e eles ficaram. 

A foto é do blog Go Brazilian