segunda-feira, 23 de abril de 2012

Lançamento e Festa em "PIONEIROS"

Foi um grande sucesso e alegria para nós, o lançamento do livro onde pudemos nos reencontrar com muitos amigos. Uma festa e tanto!

Agradecemos a todos que por lá estiveram, sobretudo ao Alberto da Editora e Agência Anima.

                                     Alunos da FPF em gestão do Futebol


Dr. Laudo Natel, ex governador de São Paulo e amigo particular de Orlando Duarte que em todos os seus lançamentos esteve presente até hoje. É o primeiro a chegar. Grande figura.







A reportagem para revista VEJA online feita por Isabella





O buffet maravilhoso aconchegou a visita de aproximadamente 300 pessoas! Tudo perfeito.




Tadeu Alvez, Secretário das Copas do Estado de São Paulo


                                 Juliana Tude e Maria! Alegria da festa

Ainda antes de começar  Orlando de forma descontraída autografafa seus livros a quem chegava.  Atrás dele, o amigo e campeão Vitor Mirshawka, campeão de basquete e hoje Diretor Cultural da FAAP e dono da Revista Qualitmeria. 






A grata surpresa de amigos conhecidos pela internet, Twitter e Facebook. Ele Michel Iunes e ela Adriana Monteiro. 

Angela Ambrósio sempre presente nos lançamentos do Orlando Duarte, Adilson Moretto também estava ao seu lado, como sempre!


Presidente  da ACEESP e comentarista de ESPN Luiz Ademar





Na fila conversando com Orlando, o grande Ferreira Martins, uma das vozes mais famosas em gilges e publicidades. Conterrâneo de Orlando, da cidade de Rancharia. Logo em seguida, de azul Celso Unzelte, Dr. Caiado e muita gente mais!


quinta-feira, 12 de abril de 2012

Pioneiros - Orlando Duarte

Mais um lançamento de livro de Orlando Duarte, para os que amam o futebol, sua história, sua chegada ao Brasil, por Charles Miller.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

CPI

O caso Demóstenes faz com que Brasília acenda o forno das pizzas e assim, esquenta a cabeça e o "rabinho"  de todos nós brasileiros que não valemos nada para nosso governo! Lamentável termos outra CPI.

O Brasil vai demorar muito pra ser um país. Ainda somos uma vila! Sem asfalto, sem esgoto, sem escola, sem segurança, sem saúde, só com Impostos e obediência aos nossos superiores. 

Quanto valemos como cidadão? Por enquanto NADA!  Só temos utilidade na hora do voto, a  começar com o direito a ele com 16 anos...




terça-feira, 10 de abril de 2012

A Telefônica e nós!

Acordei com vontade de cortar minha linha de telefone fixo. É  o que providenciei hoje assim que despertei.

Eles são bons para cobrar, nós não temos controle dos minutos que falamos e de tanto mais. O costume é usar o celular até quando estamos no banheiro, - nem banho tomamos mais sossegados, sempre grudados no vício caro da tecnologia que nos entrega e-mails, câmara fotográfica, Apps, WhatsApp, mensagens  música, rádio, e até o telefone!   Confesso que me acostumei em mandar muitas mensagens e a usar cada vez menos o telefone. Assim mesmo pagamos caro por isso tudo.

Meu filho que está nos EUA, tem um plano de telefone celular para ligar para mim (e ou para quem ele bem entender), no fixo do Brasil pela quantia módica de US$ 5,00! Detalhe: ele pode falar quantas vezes quiser, o tempo que quiser, a hora que  melhor lhe aprouver e nos dias que bem entender. Invejável, não é?

Essa noite, o meu telefone fixo tocou a noite toda, insistentemente e doentiamente. Por sinal, um animal que deve estar na cadeia que usa o nome de Wagner, liga para casa a cobrar e antes da madrugada infernal, ele  ligou aproximadamente umas 80 vezes para nosso telefone. Isso tira qualquer um do sério.  Muito desagradável, pois, para quem não tem nervos de aço, isso desestabiliza qualquer um. 



 

minha indignação é: Até quando essa VILA BRASIL, vai deixar que bandidos usem celular na cadeia? Entra telefone, entra arma, droga - qualquer coisa, certo? Uma vergonha pagar o que pagamos de impostos somados ao início do ano que ainda pagamos o IMPOSTO DE RENDA, ter que aturar esse tipo de coisa. Aliás, a lista de coisas que aturamos esta saturada. Lamentável viver nessas condições e pergunto: Quanto vale para o governo um cidadão? Pois é. É certo que para nós o governo vale muito. Afinal, pagamos caríssimo para viver no Brasil. Temos que andar na linha, pois não temos imunidade parlamentar e nem fazemos as Leis, e eles nem nos dão chance disso, pois eles estão cheio de TIRIRICAS, cantores, jogadores de futebol e ladões escolados com nomes conhecidos. Até quando?

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Aquário de São Paulo - No Ipiranga - é Lamentável!!

Realmente o Brasil é de chorar baixinho.
Hoje levei minha neta de um ano e pouco para ver peixinhos no Aquário de São Paulo, que segundo o site deles, é o primeiro aquário temático da América do Sul, no entanto, como tudo no Brasil, estamos mesmo fazendo vergonha até para criancinhas.

Saímos de casa e claro, enfrentamos trânsito, pessoas, tempo, distância e muito mais - com o desejo de termos momentos de felicidade, pois São Paulo, apesar de ser essa mega cidade, não tem nada de lazer para criancinhas pequenas. Isso é terrível, não se tem o que fazer com elas, a não ser deixa-lás correr nos shoppings que de um tempo para cá, são alvos de assaltos etc.

Mas, como temos que continuar a vida, fomos. Ao chegarmos na frente do Aquário que é no Bairro do Ipiranga, notamos que não há nenhuma indicação para se chegar a ele. Vamos no boca a boca, e não fosse os motoristas de taxi a nos informar, teríamos apenas o GPS. É o fim da picada um "Aquário desse porte" não ter nenhuma sinalização no Bairro do Ipiranga para facilitar a vida de quem faz a asneira de num belo dia de semana, ou não, tentar levar suas crianças para um passeio bonitinho.

Muito bem, ao chegarmos, notamos "Valets" a R$20,00 que pegam o seu carro para estacionar não se sabe onde. A rua é tranquila, não usamos o "serviço" deles. 

Na entrada, enquanto minha filha comprava os bilhetes, tentei levar minha neta na lojinha, que tem ao lado uma lanchonete. Para minha surpresa fui barrada. Sem contar que em seguida ví  e lí a placa informativa que dizia: "Só é permitido o acesso na loja,  com a entrada do Aquário". Heim?  E a mocinha mal treinada, também já me barrou meio na base da grossura. Não entendi absolutamente nada!

Minha filha me chama e pergunta se tenho cartão de débito.  Pois para três pessoas, o custo seria de R$140,00 reais. Caro! Muito caro.  No vidro da bilheteria outro aviso: Não aceitamos cheques.  Nem cartão de crédito. Ora bolas!  Como pode isso? 

Enquanto a coisa rolava, notamos duas classes de crianças de colégios diferentes na visita ao Aquário. Legal e importante para a criançada.

Não pudemos entrar, não tínhamos o dinheiro todo. Pior, por causa de R$5,00 reais, não pudemos minha filha e eu entrar no Aquário.  Resolvemos que a babá de minha netinha, entrava com ela. E assim foi. 

Elas entraram com o carrinho de bebê, para comodidade das duas. Lá dentro era possível ver muitos dos meninos que trabalham no local uniformizados mas sem muito jeito para a recepção dos turistas e visitantes. Um pouco toscos! Há escadas, "sobe e desce". A babá se viu apurada em alguns momentos, pois tirou a minha neta do carrinho e nos lugares de difícil acesso como escadaria por exemplo, nenhum desses meninos que vagam por lá o tempo todo, fazendo barulho, brincando entre eles e nos podando de entrar aqui e acolá, foram capazes de ajudar a babá com minha neta a subir com o carrinho. Ou levar o carrinho para nós duas que estávamos lá fora, e todos nos viram, pois estávamos com mais uma criança de colo nos esquivando do vento e da chuva, mal acomodadas num banco de madeira. São dois apenas no saguão de entrada. Um deles, era perto da porta de vidro. Com o vento e chuva, nos protegemos fechando um pouco a porta, nada mais que meio metro, pois a nenem mamava e com um mês e meio, era preciso um cuidado. Em seguida, veio outra mocinha dessas toscas e nos disse: "vou ter que abrir a porta, senão "brigam"com a gente, tá? Não pode fazer isso, tem que ficar aberta"  e ainda que gentil, mostrou o outro banco e nos mudamos para ele, esse sem vento na cara.

O Aquário depois que a escola foi embora com as classes, estava às moscas!
Minha filha e eu, "ilhadas" sem direito a lanchonete, banheiro, trocador de nenens? Nem pensar... Ficamos alí no seco. 

Quando elas saíram, a passagem era obrigatória pela lojinha. Minha neta pediu a babá uma bolinha. E a babá disse, vamos pegar dinheiro com a mamãe.  Fizemos uma festa, quando elas voltaram e minha filha pegou-a no colo, foi novamente para a entrada da lojinha que tem como acesso uma rampinha, e mais uma vez foi barrada! Ela surpresa disse, eu tenho o ticket. E teve que ouvir:  "a senhora não tem, quem entrou com a menina foi a babá".  E minha filha indignada disse a ela que só queria comprar um bolinha, qual o problema?  O ticket estava na sua mão!!  E um mal estar se estabeleceu alí, até que por causa da menina pedindo a bola, a moça disse em tom TOSCO: "então vai logo, compra a bola e sai daí."

Espero nunca mais voltar nesse lugar pavoroso que a cidade de São Paulo me oferece.  Lamentável nossas crianças serem tratadas assim com administrações casca grossa, vindas não sabemos de onde, usando o nome da cidade como símbolo de credibilidade e grandeza.  Alguém precisa fazer alguma coisa. Por todo lado, somos mal tratados.

Para quem tiver curiosidade de conhecer o péssimo lugar aí tá o link. Nem considerei o Aquário, pois não tive a chance de conhecer por não aceitarem cartão de crédito, nem cheque... http://www.aquariodesaopaulo.com.br/index2.html