sexta-feira, 29 de maio de 2009

Mulher alho, para espantar o mau olhado!






Clique para ampliar a foto e entender melhor a situação rsrs


Dizem as más línguas que o alho espanta o mau olhado. Você acredita nisso?
É sempre bom usar um pouco daquilo que tem a dose do místico, mas sem neuras.
Afinal, a fé move montanhas. . . E por falar em montanhas, trago aqui a foto que recebi por e-mail e pensei, será que um homem por amor, acredita que uma mulher assim, - a mulher alho, espanta mesmo até o marido de um bom casamento, ( ou da cama ) ou isso é apenas a matéria?

Para você, a beleza é fundamental? E aí, você encara, ou corre?

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O TOSSAN adivinhou!!!!!!!!!!!!!!!!! Vejam!!!!!






http://klictossan.blogspot.com/

Deixo um nome por aqui...
desta vez, ele é para treinar a memória dos amigos que me visitam e brincam comigo

com muito bom humor e graça.

Amo vocês todos que têm muito bom jogo de cintura para entenderem que estamos no maior entretenimento do muuuuuuuundo!

Vamos lá? Adivinhem, pois você criança - deve ter se encantado com figuras assim, que fazem parte das tradições das nossas vidas. A cada dia, vou deixar mais nomes que fazem parte dessa história. Bora adivinhar, essa tá bico!!! Não vale colar ahahahahahaha.

O nome é:

Prancer, Blitzen Vixen

Vejam a resposta do querido Tossan, "
tossan disse...

Conceição...Lembrei passei num blog outro dia e li uma reportagem muito engraçada...Vou dar o nome de todas: Dasher, Dancer, Prancer, Vixen, Comet, Cupid, Donder e Blitzen. São os nomes das renas do Papai Noel, não são? Muito legal! Beijo,

E o Norival, brincou com uma história muito bonita... Leiam em comentários aqui, vale a pena! Imperdível - Beijos

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Você é culto? Então tente reconhecer...

ESCREVAM OS NOMES AQUI POR FAVOR!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe aqui o nome dessas personalidades, mas abra a foto e veja se consegue reconhecer mais de 25 deles, se conseguir, sinal de conhecimento muito bom!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Giovanni Bruno - Uma paixão


Foi assim que eu comecei a escrever rapidamente sobre esse dono de restaurante em Sampa, que trabalhou muito enquanto garoto para chegar a ser quem é hoje em dia. Dormiu em cima de sacos de batatas porque não tinha casa e sendo assim no dia seguinte, estava no trabalho pronto para mais um dia de luta. Disse que sentiu muitas dores nas pernas durante a vida toda... Esse homem chegou no Brasil em 1950, quando a Itália estava "sentida" e sem esperança, depois da Guerra.

Giovanni, caminhou tanto no seu propósito de trabalho em restaurante que acabou recebendo no seu Sogno Di Anarello, pessoas como Pavarotti, Rita Pavone, Roberto Carlos, governadores, prefeitos, artistas, escritores, empresários e muitos amigos que fez durante toda a vida. Foi cozinhar para três presidentes da República e por aí ele segue até hoje.

Um belo dia, amigos resolveram escever um livro sobre sua vida. O ano - 1994. O Texto é de Angelo Iacocca, a orelha escrita por um dos organizadores ( Berel Alterman )que pegou o depoimento de 14 amigos. Deixo a lista deles depois do post. A única ovelha negra da história fui eu. Um dia conto... Mas o Giovanni e o Berel, brigaram para eu ficar, e o texto foi sem correção para o livro. Meu marido estava em Helsinqui e não sabia de nada sobre minha participação.

Repasso para vocês.

UM BUQUET - NAPOLITANO
Giovanni Bruno é mais que um amigo. É como um irmão, um pai que lhe estende a mão nas horas que você mais precisa e na hora em que você nem imagina que ele está pensando em você. De repente, chega à sua frente um sinal de Giovani Bruno... É uma surpresa “sui generis” como um bolo todo enfeitado num dia muito especial ou não, acompanhado de um cartão muito lindo tecendo elogios à sua pessoa de maneira tão doce, que é preciso ler e reler várias vezes para se convencer de que aquilo tudo foi endereçado à pessoa certa.

“Geová” não é como esta “gente” não. Ele é pura emoção, é sensível, simples humilde, carinhoso e capaz de conquistar pessoas das mais diferentes classes. De artistas a políticos, dos mais famosos, queridos e conhecidos; nacionais e internacionais e tudo mais que se quiser acrescentar. Ele é desses “caras” que gostam dos mais humildes dos humanos até o mais cobiçado de qualquer área. Ele nunca se esquece de ninguém e é capaz de atravessar o salão do seu restaurante alegre, aconchegante, italiano, quente, cheiroso... temperado – com uma folha de alface na mão para oferecer à “moda italiana” para a esposa de um governador ou para a namorada do Pelé, ou ainda para alguém que está chegando lá pela primeira vez.

A Itália e o Brasil são representados pela pessoa mais “temperada” que conhecemos o nosso “Geová”. Ele é a cara de São Paulo. Ele é a cara da Itália, com um coração mais que brasileiro. É um homem forte, capaz, respeitado, respeitador, cheio de valores e é também o mais chorão que eu conheço.


chora por amor, por alegria, por amizade, por dor, por tudo que nos envolve. Ele é um torcedor por você. Ele, sozinho, guarda dentro de si a emoção de todos os times de futebol da Itália e do Brasil, juntos. Giovanni é um amigo como dificilmente se encontra durante uma vida.

Desde o início de sua carreira, como um exemplo de garçom desenvolveu sua sensibilidade agradando seus clientes e os conquistando em primeiro lugar pela boca mas, atingindo direto seus corações e suas almas.

Ele é o único no país que se dá ao luxo de não receber para almoço e não abre jamais nos finais de semana. Dá férias coletivas aos seus empregados, e no primeiro dia de seu retorno, a casa funciona como se a chama daqueles fogões que cozinham a comida que ele faz, jamais tivesse sido apagada e pode-se sentir lá de fora, além da fila, o cheiro do tempero, do tomate, do manjericão e do basílico que passa pelo meio das fotos e das camisetas queridas que enfeitam também sua casa.

Este homem faz coisas que só admitimos que ele as faça. Mais ninguém sobre a face da terra tem este direito. O nosso italiano brasileiro, mais que querido, cheiroso e vaidoso, anda entre as mesas de seu restaurante recebendo seus clientes e amigos só e unicamente pelo prazer e amor de rever pessoas que o conhecem há 30 ou 40 anos e , portanto, sabem muito bem os caminhos difíceis que ele percorreu para fazer de todas as noites, uma verdadeira festa. Nos seus olhos, como uma criança, a novidade de novos clientes, de novos “Momentos”. No seu coração, um enorme pedaço bate por sua filha, e agora, ele todos bate mais forte que um pandeiro de sambista em sua escola de samba, por seu neto. Essas são suas vaidades e a constante renovação de sua vida.


É esse Giovanni que São Paulo tem. Que São Paulo precisa conhecer mais, conservar, reconhecer e, “de quebra”, homenagear, dando-lhe um lugar em cada coração daqueles que dizem ser seus amigos. “Geová” merece a nossa fidelidade, nossa amizade, nosso prestígio e respeito, porque chegou aonde chegou, machucando muito suas mãos, dormindo tarde, trabalhando duro e cansando suas pernas. Mas, com certeza, foi a soma de todas estas coisas que fizeram deste homem um romântico eterno. Um sonhador que adora cantar, que adora ouvir um amigo falar, que olha para uma mulher com todo o respeito e que parece estar ( quando não está mesmo ) sempre com rosas na mão. É um gentleman. Quando gosta de alguém, entrega-se de corpo e alma. Confia nas pessoas e é um apaixonado por crianças e idosos. Conhecem alguém assim que não é boa gente?


O que mais possa falar de Giovanni Bruno, de quem tanto gosto e admiro? Esse Gigante Sonhador... De Anarello. Desejo a ele toda a felicidade e saúde do mundo! Que Deus o faça lúcido por muito tempo e que seu cuore seja forte, para podermos aprender com este pequeno grande “Geová”, que, além de tudo tem a gargalhada mais engraçada e escandalosa que um napolitano já teve.


Quero guardar dentro de mim esse “Geová”, que conheço e de quem gosto. Quero tentar passar a todos um pouco desse amigo que Deus que me presenteou através das mãos carinhosas de meu marido Orlando Duarte. Tenho certeza de ter aprendido com ele muitas coisas, principalmente a entender que “a vida são momentos”.

Entre champagnes, óperas, macarrão, gente, amigos, desconhecidos, molho de tomate, orégano, basílico e manjericão, - ninguém mais que “Geová” merece da gente uma homenagem, um reconhecimento. Na verdade, mais que uma vez, é ele quem nos homenageia com as história de sua vida. Absorvam tudo em fogo baixo, porque a vida dele, sem duvida nenhuma, será uma lição de vida para todos nós.
Depoimentos de:
Bendito Ruy Barboza
Carlito Maia
Juca Chaves
Orlando Duarte
Paulo Natanael
Vicente Amato Neto
Oscar Ulisses
Nair Belo e Irineu Souza Francisco
Fernando Coelho
Silvio Lancellotti
Ignácio de Loyola Brandão
Mino Carta e eu,
Conceição Foglio Duarte

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Jockey Club de São Paulo



Mulheres e homens no III Grande Prêmio São Paulo Rede Globo 2009, estavam elegantes na sua grande maioria, em uma tarde ensolarada e alegre no maravilhoso salão nobre do Jockey Club. À base de vinho italiano, champagne Francês e boa comida, muita gente desfilou entre amigos.
O presidente Márcio Toledo e sua mulher, Paula - como sempre muito elegantes receberam todos os convidados com um sorriso largo no rosto. Algumas figuras importantes como o Ministro dos Esportes, Orlando Silva, e o Secretário Municipal dos Esportes, Dr. Walter Feldman estavam atentos ao grande prêmio. Na verdade Marcelo Motta e Paulo Pestana, além de grande parte da diretoria do Jockey, eram só alegria diante da belíssima tarde que puderam proporcionar aos seus ilustres convidados, pois, o que não faltou por lá, foi gente da sociedade brasileira das mais variadas atividades.

Paula Toledo

Extravagância

Cláudia Feldman
Além do chapéu, os sapatos eram muito transados em pés bem tratados como os da charmosa Cláudia Feldman - A simpatia da mulher bonita que apesar de estar como uma das mais elegantes da tarde no grande prêmio do Jockey, não se importou em jogar nas costas o paletó do seu marido, Dr. Walter Feldman, que não conseguia sair do Jockey com facilidade, pois, todos têm muito assunto para falar com ele que como um cavalheiro, além de tôda sua competência na secretaria, não deixou sua linda mulher, Claudia Feldman, sentir o friozinho que se instalava no final da tarde
A Paixão por cavalos...

A sandália lindíssima com quatro rosinhas no peito dos pés bem feitos de Carolina Nascimento.
Carolina P. Nascimento
pés...um fetiche!
Uma das antigas Diretoras do Jockey Club de São Paulo, - Elba Diniz Bueno

Altíssimos
O Grande, Giovanni Bruno
Algumas mulheres ousam na cor... Saem do preto
Juan Figger e sua nova mulher
Bela
Sapatos, uma paixão feminina
Uma jovem ousada
A senhora elegante de olho no grande prêmio. Muita vibração!
Elegância



Antonio Carlos Nascimento ,Maria Carolina Nascimento e Isabella Nascimento


A menina que conhece parte do mundo... Já usa chapéu e tem o aval de sua mãe para usar o primeiro batom em festa da sociedade paulista.

Isabel Chap Chap esbanjava beleza no seu traje como um todo! Muito elegante.
As Botas também não faltaram

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Tertúlia Virtual - 10 anos numa ilha/cinco coisas apenas


Tenho me divertido com este assunto da tertúlia deste Maio de 2009.
Muitas dúvidas pintaram nos comentários que vez por outra, via nos meus passeios por aqui.
É muito difícil pensar em cinco coisas para tanto tempo. Como não foi estipulado a forma de como isso aconteceria, ficou um grande espaço para a imaginação e bom humor aqui dentrinho de mim.
Então, diria eu que estou em Angra dos Reis navegando numa daquelas maravilhosas ilhas com meu super barco - Ferretti 58 pés, e o meu Marinheiro, o competente Amaury.

Meu alicate de unha estaria comigo, sem dúvida.
Hipoglós, uso para tudo - TUBO GRANDE.
Pensei então que já possuía muita coisa ( quatro somente ) só me restou deixar o Amaury para ir e vir ao meu encontro rsrsrsrsr, o barco, tem uma lancha para diversas ocasiões... Afinal, ninguém é de ferro e certamente morreríamos ou nos transformaríamos em selvagens, sujos doentes e por aí vai... Amaury como o quinto ítem, seria o complemento para não me deixar faltar nada.

Se Tom Hanks ficou ( em Náufrago, que foi o maior sufoco) apenas quatro anos, ah! Porque eu ficaria os 10? Deus me livre!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Caricatura - Paulo Caruso


Ontem, dia 12 de maio, fui à FNAC, ao lançamento do livro "Manual do Direito do Entretenimento" que é uma produção cultural e também uma organização de Andréa Francez, José Carlos Costa Netto e Sergio D`Antino. Todos Advogados especializados em direitos dos artistas. A Editora é a Senac - SP.

Havia muita gente por lá, e foi uma delícia rever amigos em momentos agradáveis. Me surpreendi com o projeto, pois, quando por lá cheguei, ví a maior mesa de autógrafos de todos os tempos, - foram muitos os advogados que colaboraram na escrita do livro para o entendimento de quem dele necessitará.

O livro é muito legal e agradável de se ler. Para encurtar a conversa, o Paulo Caruso foi quem fêz as ilustrações. De presente, lá estava ele dando autógrafos divertidíssimos e com uma rapidez que só os gênios têm, ele fazia em segundos a nossa caricatura.

Deixo aqui, a minha para vocês com a dedicatória para o Orlando.