sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Ai... o Amor!

...Em homenagem à você, ofereço o meu presente para todos os que querem saber o que é um pouco de amor!

Ela ... agradece!

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Programa Gente Que Fala




Aí está a apresentadora Liliane Ventura, no comando do programa diário da rádio Trianon AM 740 ao meio dia, com seus convidados os mais variados, desde políticos atuantes, importantes, até pessoas comuns, mas que levam sua bagagem e seu modo de pensar dentro daquilo que vivemos no dia a dia das nossas vidas. Sempre sou convidada para participar e é um imenso prazer estar dentro desta programação respeitada que é dirigido por Fausto Camunha.

Você pode ouvir pela Net no site www.gentequefala.com procure programa ao vivo e os nomes de quem interessa para que possam acompanhar.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

http://penadevidro.blogspot.com/

Gás

Esperei o meu homem sair,

Tomei banho, arrumei-me bem.

Retoquei maquiagem, troquei os brincos.

Penteei meu cabelo com mais cuidado.



Botei blusa nova, sapato novo,

Passei batom, hidratante e perfume.

Liguei pràs amigas, combinei cinema,

Jantar, danceteria e asilo.



Arrumei a cama, arrumei os vasos,

Ele sempre gostou muito do jeito

Como eu sempre arrumei os vasos.



Limpei a sala, os quartos e seus livros.

Passei pano nas estantes, nos móveis,

Escova no sofá, nas poltronas

E escovei os dentes.



Deixei três camisas passadas no armário,

Duas calças nos cabides e cinco gravatas.

Abri dois pacotes novos de meias,

Deixei roupas discretas limpas e guardadas.



O tênis do fim de semana, das caminhadas,

Deixei tomando um pouco do sol do dia.

Também deixei dois lençóis, brancos, macios.

Dois lençóis dos que ele mais gosta, um na cama,

Um no armário, cheiroso como se fosse novo.


Deixei sopa na geladeira, um pouco de arroz,

Dois bilhetes na porta branca, bilhetes brancos

Com instruções, telefones de faxineira,

Rotssérries e pizzarias.


Ajoelhei na frente do fogão, para ver uma torta,

Se estava pronta para o meu marido.

Tirei a torta, mas deixei o fogão aberto, respirava.

Desliguei o fogo sem desligar o gás.


Ouvia seu carro à frente de casa, as palavras,

Avisando como sempre, que chegava e queria comida.

Sobre meus sapatos altos e pretos, com meu vestido,

De renda e decote, que mostrava o que devia.


E com a mala nas costas

Virei pro meu homem e disse:

Amor, nosso gás acabou.



Poema escrito por Salomão, visite seu blog

http://penadevidro.blogspot.com/

E se você sumiu, liga não.
E se você sumiu, liga não.

Toda fotografia tem esse final.

Um dia some do álbum, da lembrança,

Um dia some a esperança de um final

Feliz.


Escrito por Salomão. Vá visitar e ler o blog deste cara que escreve coisas maravilhosas!

Imagens do dia - Álbum de Fotos - UOL Notícias

Imagens do dia - Álbum de Fotos - UOL Notícias

domingo, 25 de janeiro de 2009

Nossa Última Dança


Meu amor!
Meu dono!
Meu Rei! Meu Louco! Aqui sua escrava que acabou de se libertar!
Poderia ter sido tão bom. Poderia ter sido só nosso. Você e eu. Ainda que fosse uma única vez. Só para saciar nosso amor, nossa carne e desejo.
Nosso tempo.

Claro que você é louco, que você é irresponsável e tem grande dose de infelicidade aí dentrinho da sua alma, do seu coração, na sua vida, isto está na cara!

Claro também é que tem uma grande parte de você que é tudo de bom, de lindo, de querido, de mágico, de encantamento, de amor! De cultura rara, inteligente, falante, divertido. Ah, que dó! Ai como eu estou triste hoje! É como morrer um pouco sabia? É a perda. É a dor.  A dor da alma, do sonho que virou pesadelo. Escapou pelo vão dos meus dedos o herói dos meus sonhos.

Caminhamos juntos por Paris mesmo separados! Tomamos sorvete, vimos a torre Eiffel, a Notre Dame, rezamos juntos! Dormimos tantas noites na mesma cama. Acordei com você do meu lado.

Nosso primeiro sonho foi o de andar de mãos dadas pela Champs-Élysées, nos amamos no Rio Sena, passeamos de barco, rimos muito!

Que dó! Que dor.

Quero tanto bem a você, eu te amo tanto, tanto! Te amo como pessoa, como amigo, como homem, mas você foi tão idiota comigo. Tão infantil, grosseiro, irresponsável.

Setembro chegando, as folhas caindo nos tons de vermelho e bronze, meu coração em sonho esperando você me chamar. Ah, o outono...

Eu achei que te beijei uma vez. Eu sonhei com o teu cheiro um dia, com tua mão em mim... Bebemos um gole de whisk do mesmo copo. Deixei meus cabelos compridos, pintei as unhas de branco, comprei um soutien como você queria.

Me perfumei e quando eu estava prontinha, você só soube falar das companhias pequenas e pobres de espírito que estavam com você até o sol raiar, se esqueceu do nosso sentimento, do nosso compromisso em segredo e colocou tudo a perder.  

Você fez amor, bêbado? Será que fez mesmo? Ou você fez papel de frouxo diante de uma vagabunda na sua vida.  Coitada, coitados!

Ah, que pena de você. Ah, que pena de mim! Poderia ter sido tão bom.

As flores gostam de água. As mulheres, todas elas, gostam de cavalheiros e gostam de amor, gostam de carinho, de atenção e da classe de um homem.

Eu nunca quis você na minha cama, dentro da minha casa, mas eu quis você dentro de mim. Quis você como parte dos meus sonhos doces, prazerosos e queridos. Isso é tanto!

Não meu amado. Não quero mais, obrigada!

Cortei meu cabelo, pintei minhas unhas de vermelho. Joguei no lixo meu soutien novo. Incendiei nossos sonhos. Sublimei meu desejo por você e hoje começo um novo dia na minha vida.

Andamos de mãos dadas no último verão...
Dançamos nossa última dança.



sábado, 24 de janeiro de 2009

Anivesrário de São Paulo, Minha, Nossa Cidade




São Paulo, lugar onde eu nasci.
Era um lugar tranquilinho, cheio de garoa, frio.
São Paulo tinha Bondes, Lotação, poucos ônibus e pouco trânsito, pessoas mais bem vestidas nas ruas do que hoje em dia.
Os carros eram importados, cadilaques, "rabo de peixe" de cores exóticas, verde água creme, lindíssimo, e assim por diante. Carros pretos haviam muitos também, todos eles eram raros.

O pão era vendido na porta de casa, e fazíamos anotações na carteira do padeiro para pagar a continha no final do mês. Diariamente ele passava à porta de nossa casa e abria uma cesta cheia de pães francês, bengala, e alguns pães doces, todos fresquinhos. Deliciosos. Sabíamos o nome dele e ele o nosso, vejam só!

O tintureiro, geralmente japonês, assim como o padeiro, pegava os ternos do papai e as roupas que não se podiam lavar em casa como toalhas de linho e alguns vestidos de festa com tecidos que exigiam cuidados especiais.

Em São Paulo, quando eu era pequenininha não tinha geladeira. Ela chegou nos anos 50/60. Raras eram as pessoas que numa rua inteira tinham uma geladeira. Depois a televisão, mas todos, ou a grande maioria tinha o rádio nas suas casas.

A vitrola que tocava discos lindos para mim era o móvel mais importante da casa, talvez como ter hoje em dia uma LCD de 52 polegadas na sua sala de TV. Eu ouvia "Johnny Mathis" - "The Beatles" - "Metais em Brasa" maravilhosos!!! "Tom Jones" ah, era demais!!! "The mamas and the papas - California dreamin" "Celi Campelo", Wilma Bentivenha".

São Paulo era assim calmo, calmo, havia tempo para tudo.

Todos os consultórios médicos ou grande parte deles, eram no centro da cidade. Aproveitavamos o dia para um belíssimo passeio. Para comer, visitar o Mappin Stores que ficava de fronte ao Teatro Muncipal. Alí podiamos tomar um chá delicioso com amanteigados, sanduichinhos feitos quase que como na cozinha de nossa casa. Com carinho e personalidade.

Tanta coisa havia boa em São Paulo que cresceu tanto.

O cine Marrocos era chiquérrimo, um acontecimento ir ao cinema.

Nós somos filhos desta cidade, mas esquecemos isso e nos sentimos mães e pais de São Paulo, pois ela cresceu, e acompanhamos tudo! Sampa, ficou independente, cheia de gente dentro dela, trânsito maluco, ônibus para todo lado, o clima mudou demais de uns tempos para cá, tudo ficou longe e nos separamos por bairros. Conhecemos o nosso e olhe lá!

Acabaram com os Bondes que não poluem a cidade, que da um ar romântico... Com os trens que podiam nos levar para outras cidades; - Lotação, nem pensar! Ninguém quer se misturar... O barulho de helicópeteros é constante na vida do paulistano, as ambulâncias, bombeiros, tiros até!!! Temos medo de assalto, temos carência de hospitais, de condução, de metrô para toda cidade, de pessoas que nos saúdam nas ruas, que nos reconheçam como gente que somos, mas não ficamos sem São Paulo, assim como não ficamos sem nossos filhos.

São Paulo 455 anos! Parece muito, mas é pouco para o tanto ainda que ainda vai amdurecer.

Obrigada São Paulo, por tantas emoções. Por todas as opções e ofertas que você nos presenteia diuturnamente, com uma infinidade de fármacias, padarias, supermercados, hospitias, comunidades, restaurantes, mercados de alimentos, flores, lojas faculdades, e principlamente pelo povo que você incansávelmente recebe todo santo dia e acolhe da forma que pode.

Torço para você diarimente. Torço para que nossos governantes abram suas cabeças e seus corações para aliviar a sua vida e assim poder tratar melhor da sua gente. Sabemos que você não dá conta de tudo, mas também não abrimos mão desta festa constante que você nos oferece apesar da confusão estabelicida nas nossas vidas, entre você e nós! Te amo São Paulo!

Dizem que Deus é brasileiro, então peço a ELE que olhe por nós todos! Ele olhando por você, está olhando por nós! Parabéns

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Lanche de Sábado ( Olha a situação )



Papai e mamãe passam em casa para dar um beijinho nas crianças e na gente, - era fim de semana. Quando caiu a tarde papai já inquieto começa a apertar minha mãe para ir embora para casa. 

Mamãe, como toda mãe e mulher, estava a fim de ficar mais um pouco. Prometi a ele um lanchinho e disse: Papis, vamos comigo na padaria comprar umas coisinhas gostosas, pãozinho fresco, podemos tomar uma cervejinha, fica mais um pouquinho com sua filhinha, vai?! Porém, nem consegui terminar de falar quando ele me cortou explicando que aquela hora a padaria estaria cheia e ficaríamos uma hora para sermos atendidos...

"Olha papai, sou suuuuper amiga do carinha que trabalha na padaria, o Jailton, é que todo santo dia depois da escola das crianças eu passo lá para comprar pão, leite,  tudo! Nem saio mais do carro muitas vezes. Ele me tratava com o maior carinho e deferência... Era um fã! Não me deixa passar nenhum aperto. E repeti: Pai, acredite, to com tudo naquela padaria"

Papai ficou impressionado com a minha firmeza em dizer que tinha carta branca na padaria e se arriscou e topou! 

Preciso contar aqui antes de continuar que nesta época, eu tinha meus 38 anos, cabelos compridos e naquele sábado, antes do papai e mamãe chegarem em casa, eu havia cortado o cabelo super curtinho, muito curto mesmo.

Chego na padaria, fila grande, enorme! Vi Jailton servindo o povo todo e dei uma olhada daquela que só nós dois entendíamos rsrsr. Ele se fingiu de morto e nenhum rictus no seu semblante eu pude registrar em resposta a minha "gloriosa" chegada na padaria.

Papai ao meu lado perguntou ( em forma de gozação ) se aquele cara era o tal amigo que me servia como uma rainha. Confirmei, mas estava um pouco sem entender a reação de Jailton comigo.

Papai continuou tirando o maior sarro de mim, e disse que sabia que nós íamos ficar naquela fila de sábado na padaria e ficou p da vida comigo.

Eu continuava a arregalar meus olhos para ele e era como se eu não existia.
Fiquei passada!
A fila andava devagar - quase parada.
Papai com o saco na lua...
E Jailton me ignorando...

Tudo bem, assimilei o golpe.
Ficamos na fila era tarde para voltar ao passado.

Chegou a minha vez. Cumprimentei Jailton antes de fazer meu pedido e ele não me respondia. Ficou parado olhando pra mim, sério, bravo, decepcionado! Disse mais uma vez e completamente vendida ( e se vocês imaginassem o canalha que meu pai era, morriam de rir mais ainda ). Jailton, porque você não me atendeu como sempre?! Ele olhou bem dentro dos meus olhos e falou em alto e bom som: "Porque VOCÊ fêz isso? " E eu sem entender nada perguntei: "isso o quê meu Deus?! E Jailton: - Porque é que você cortou o cabelo???"

Nessa hora dei aquela olhada de lado pois todo mundo ouviu... Meu pai neste exato momento me disse assim: "filha to te esperando lá fora"

Para resumir, eu precisei responder ao Jailton que tinha o costume de mexer muito no meu cabelo e que nunca estou igual por muito tempo. Ele ainda sem mostrar nenhum dente, me disse mais uma vez: VOCÊ não deveria ter feito isso!

Muito desapontada, fui fazendo meu pedido antes que eu apanhasse...
Entrei no carro carregando tudo como uma camela. Meu pai tirando o maior sarro de mim...Chegamos em casa as gargalhadas, tivemos que contar tudo além de explicar sobre a nossa demora.

Jailton ficou "bravo" comigo por mais de um mês.

Pode isso?

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Adoro Mulher Safada!


Namoro com uma mulher maravilhosa. O que mais gosto nela, dentre tantas coisas boas que ela tem, é a sua disposição em estar sempre pronta para um transa sexual. Seja ela uma transinha casual ou animal. Sim! Puramente sexual, o que também é uma delícia! Esta mulher sapeca, safada, de apenas 30 anos, topa qualquer parada comigo. Ela é gerente de uma das lojas de grife feminina mais manjadas dentro de um dos shoppings classe AAA de São Paulo.

A loja apresentava a coleção para meia estação. Ofereciam coquetel às convidadas vips e minha gatíssima tinha que estar à frente de tudo.

Combinamos de sair depois deste evento, fui ao shopping e para fazer o meu tempo passar, me apeteceu entrar numa livraria e folear alguns livros que estão na minha lista de compras.  De repente, meu celular avisa o recebimento de mensagem e para minha surpresa lí o seguinte: "Queridão, to com um tesão danado em você. To enrolada aqui mas quero fazer amor agora. bjo na boca e de língua!"

Achei divertido, continuei lendo e pensei comigo mesmo, ela é minha maluca, coisa deliciosa! Deixei quieto. Mais um pouco de tempo, e novamente o sinal de mensagem. "Isto aqui está um saco, quero que você me coma agora!" Eu ri sozinho, nem respondi, - fiquei na minha, e tinha a nítida impressão de que todo mundo na livraria estava lendo as minhas mensagens também. Antes que eu ficasse mais vendido, saí da livraria e fui a caminho da loja para ver o movimento, as mulheres e dar uma piscadinha para a minha mulher gostosa. Não a ví. Sentei num daqueles bancos e pumba! Recado novamente. "Paixãozinha, faça um favor urgente para mim agora? Diga que sim, me responda, to aguardando... Bju molhado rsrs" Respondi a mensagem dizendo que sim, claro! E veio o seguinte pedido: "Queridão:, entre na loja, não olha pra ninguém, nem fale com ninguém...Vá direto para o segundo provador, entre e me coma!"

Confesso que fiquei um pouco inseguro, e ainda sorrindo e adorando as mensagens dela, fui em direção a loja e na maior cara dura entrei com passos firmes, passei por algumas mulheres e fui direto ao provador.

...Ufa! Minha gata estava lá de sainha curta, sandália gladeador e com a calcinha puxada para o ladinho  e cheia de tesão, pronta para a gente se amar. Fiquei maluco, mal me conscientizei que estava lá na festa, e ela me conduziu para uma deliciosa transa. Me beijou, me abraçou e passava a mão em mim, e em pouco tempo senti que estava dentro dela.  Algumas vezes, abriram a cortina do provador. Que loucura!  Nem ligamos. Continuei comendo-a gostosamente até que ela gozou muito - tremendo e molinha, pediu para fazer sexo oral em mim. Fiquei louco, não enxergava nada de tanto tesão, e não pensei duas vezes... Ela me posicionou no canto do provador, e me chupou "deliciosamente". Eu gozei como nunca e nenhuma gota sobrou naquele lugar. Ela me secou! Estava literalmente maluca!

Me recompus, me ajeitei  como pude, ainda nos beijamos um pouco, estavamos os dois tontos de tesão, e fui embora, tinha que sair dalí. Passei em meio a mulherada novamente, não me fixei em ninguém, fui tomar um café precisava me sentar e restabelecer o equilíbrio das minhas pernas. Não tirei a cena da minha cabeça e meu corpo ainda estava excitado... Fiquei na curtição daquilo muito tempo. Logo depois uma mensagem novamente no meu celular dizia: "Queridão, to molhadinha ainda, sinto teu cheiro em mim... Logo saio daqui, e quero mais, te amo"!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Barack Obama - "O Mundo mudou e precisamos mudar com ele"


Barack Obama é de origem africana e pode signicar ( Deus o abençõe )
Hussein é de origem Árabe, e quer dizer bonito, simpático - O símbolo do "H" deste nome - É muito ligado em dinheiro e posição, sua personalidade se sobressai quando você está diante de um desafio. "Vem quem tem" seria um bom lema na sua vida. Dificilmente passa dias preocupado com problemas, pois é do tipo que encontra soluções para os problemas em segundos. Tem uma imagem de pessoa meio solitária, e que não gosta de brincadeiras. as vezes um pouco distante e severa. Deve tomar cuidado para toda esta eficiência não estar escondendo um pequena insegurança.

Isto tudo ainda não diz o quanto foi linda a posse do novo presidente dos EUA da América do Norte, trasmitido pela televisão e já consumada como a transmissão mais vista em todo mundo de todos os tempos.

Por várias vezes me emocionei, assim como o povo americano, o povo do mundo e muitos dos jornalistas que fizeram esta transmissão. Confessaram a emoção.

O povo americano esteve presente nestes três dias de festa e hoje o dia mais especial de todos eles, o da posse, ficaram em pé na frente do Capitólio enfrentando um frio rigoroso - 3 graus abaixo de zero com sensação térmica de 10.

Dizem que havia perto de 2 milhões de pessoas. Todos muito felizes e vibrando, incansáveis.

Muitos ex presidentes estavam no evento. O mais aplaudido foi sem dúvida Bill Clinton, democrata, que hoje é marido da mulher mais importante do governo de Obama, a Dra Hillary Clinton, secretária de Estado.

A cerimônia foi marcada várias vezes pela religião católica. Pela emoção. Pela manhã, houve missa, e no capitólio, aconteceu uma oração - "Pai Nosso " que foi rezado por todos e o silêncio respeitoso era impressionante.

Ninguém queria perder nada. A outra benção feita por um pastor de 87 anos, que muito emocionado pediu a união de todas as raças para a grande paz mundial e a cada raça que ele se referia, foi dito "Amém" por todos os presentes. Outro momento de grande emoção. O reverendo e Aretha cantaram e rezaram em outras ocasiões, como para Kennedy e outros importantes presidentes e até para o líder Martin Luther King.

Durante todo o tempo, Barack Obama que sempre falou de improviso, esteve muito compenetrado, sério e em momentos certos ele esteve muito feliz, risonho e na hora que o chamaram para o juramento, foi difícil segurar a carinha de conquista, de novidade, de "cheguei aqui, e de que "estou vivendo o sonho mais lindo". Ela, sua mulher, vestida de amarelo e luvas verdes, olhou para ele durante o juramento de modo embevecido. Parecia que estavam se casando apaixonada novamente.

Ele é simples, tem sua dose de humildade em perfeito equilíbrio, mas se manteve em todo instante muito firme, seguro e determinado.

No almoço ainda no Capitólio, mais uma vez houve um momento de oração, e agora seguiram de carro blindado para a Casa Branca.

Ted Kennedy e Robert Byrd, este dois senadores, o último, era racista, passaram mal durante a cerimônia no almoço do Capitólio. Ted tem um câncer na cabeça seu estado é terminal, se negou a operar e disse que o que queria ver na vida, era a posse de Obama e nada mais. Alguns críticos acreditam que dificilmente ele volta à vida da política.

Incrível nós vermos ainda que estivéssemos no século XXI a posse de um negro e filho de estrangeiro como presidente do EUA. Lindo tudo isso, emocionante, uma lição de educação, de evolução, de cidadania, de igualdade humana - ele formado em Havard, ela também advogada, pais de duas meninas.

Em seu discurso ele disse que quer paz no mundo, lembrou de como sofreram para que os EUA fossem essa potência que é hoje. Que todos nós sabemos da crise que vivemos, mas que todos precisam se ajudar, trabalhar para que tudo fique bom para todos os americanos e para todos os povos. Prometeu ajudar os povos necessitados e ele não quer guerra.

O frio é grande, Aretha Franklin cantou para o presidente e depois de algumas apresentações, eles foram almoçar depois de se despedirem da família Bush, que não participou do almoço.

O almoço ainda teve alguns poucos momentos de homenagem a ele, e ele mesmo falou muito pouco. A preocupação agora é saber se Obama fará no caminho do Capitólio até a Casa Branca, deixando o carro em algum momento. A segurança preferiram que não, todos se lembraram de Kennedy em carro aberto. O carro dele é a prova de dinamite, de metralhadora, de tudo que é ruim em armamento. É um verdadeiro tanque de guerra.

Calmamente e dentro de um carro que é super blindado, o novo presidente fez o caminho rumo a sua casa nova, mascando chiclete, e sua esposa passaram pela avenida cheia de gente, de seguranças e de sonhos para um início de uma história que poderá ser linda e cheia de sucesso na direção de Barack Obama.

Que Deus abençõe a América, tanto a do Norte, quando a do Sul! E assim, todo o mundo!


DETALHES - ELE É CANHOTO
HOJE AINDA, DIA DA POSSE, TERÁ VÁRIOS BAILES E DISSE QUE VAI DANÇAR EM TODOS ELES! POR TODOS OS LUGARES DA CIDADE. SÃO BAILES DE GALA, COM A PRESENÇA DE FIGURAS FAMOSAS COMO Oprah Winfrey, POR EXEMPLO.

OS CONVITES SÃO CARÍSSIMOS, MAS O DINHEIRO ARRECADADO É PARA ATENDER PESSOAS CARENTES, DOENTES, SEMPRE VOLTADO PARA O SOCIAL.

BARACK OBAMA, SAIU DO CARRO NO CAMINHO DO CAPITÓLIO ATÉ A CASA BRANCA POR DUAS VEZES, UMA DELAS ANDOU 7 MINUTOS, COM IMENSA ALEGRIA E SIMPATIA, SEMPRE DE MÃOS DADAS COM A SUA MULHER.

DISSE AO MUNDO MUÇULMANO - "VAMOS DEIXAR UM LEGADO DE LIBERDADE PARA AS FUTURAS GERAÇÕES"

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Meme de Felipe para mim rsrsr


Presente a Limpo

Ta aí, Felipe quem me enviou este "meme". Terei que falar cinco coisas a meu respeito que nem sempre serão simpáticas, afinal sou humana rsrsr

1- Já briguei com uma vizinha em reunião de condomínio.
A louca chamou a polícia e foi a maior baixaria.

2- Um cara entrou na minha vaga de carro dentro de um shopping, pedi para ele tirar o carro. Antes, fiquei tocando a buzina até aparecer seguranças. A mulher dele morreu de vergonha pelo que ele fêz comigo. Minha vingança, foi dizer que se eu fosse homem, ele não teria feito aquilo, e portanto, ele deveria ser frouxo! Acho que a mulher concordou, se enfiou para baixo do banco do carro. Muita gente à nossa volta. Ele ficou muito bravo comigo, fêz pique no lugar e disse que me daria uma porrada, - antes que eu apanhasse, dei-lhe eu uma porrada no babaca frouxo. Seus óculos voaram 10 carros para a frente de onde estávamos.
Voltei para a direção, - ah, o senhor ficou sem enxergar alguns dias... Passei com meu carro em cima dos óculos dele e fui embora para outro shopping. Jesus! Que coisa feia!

3- Ja tomei três porres federais. O último pensei que estivesse bem... Quando acordei no dia seguinte, toda acabadaça, havia do meu lado feito guardas da "rainha" meu marido e meus filhos tomando conta de mim e cada um na frente de uma janela da sala do meu apartamento. Acho que eu estava tão maluquinha que eles ficaram com medo de eu pensar que era a mulher maravilha e portanto, poderia surtar querendo sair voando rsrsrs.


4- Fui tão irresponsável que aos 49 anos resolvi saltar de paraquedas - tinha que ser escondido de todos em casa. Difícil foi enrolar o povo um dia inteiro...Trouxe o filme para justificar minha ausência desde as 9hs da matina na rua, rsrrs Ufa! Foi trash.

5- Quando Diretora de eventos da Federação Paulista de Futebol, em final de campeonato entre Corinthians xs São Paulo, dei ordem de começar o Hino Nacional, antes da entrada do Wandeley Luxemburgo em campo com seu time,- o Corinthians. Justifico - chovia muito, o São Paulo entrou antes do combinado, o Wanderley entrou antes do time dele em campo, coisa rara também, pegou fogo numa "bolacha" na saída de do túnel dos jogadores do São Paulo. Como se não bastasse, entram mais de 300 crianças em campo fazendo a maior quizumba. Soltaram fogos e posicionada péssimamente, quando eu ví o Wanderley em campo sentando no banco de reservas, acreditei que o time ja estivesse também... O maestro olha para mim como quem diz, - "veja, senhora, o Luxa ja esta no banco..." e eu mandei ver, dei o sinal de "toca o Hino". Quando acaba a última nota, como que por encanto, clareia tudo em campo... E aí sim entra o Corinthians.

Galvão Bueno, e as emissoras que transmitiam o jogo, começaram a meter o pau na organização e as rádios e tv correndo em minha direção, para que eu pudesse explicar o que havia acontecido... Me levaram quase que algemada para a Tribuna de Honra da FPF... A mando do "simpático" ex - presidente na época. Estavam lado a lado, Dualib, Paulo Amaral, Rubéns Aprobatto Machado, Reynaldo Carneiro Bastos, e Farah! Levei uma bronca ducaramba! Quem mais ficou chateado foi Dr. Rubens...( corintiano roxíssimo) O Farah...babava de raiva. Reynaldo desceu depois de alguns minutos e foi delicadamente me consolar. Preciso achar essa foto... E meu marido em casa, tinha ataques, porque sabia que havia algo de errado comigo. Mas todos sabiam que muita coisa estava errada por alí, não era possível uma pessoa errar desse tanto sozinha... No campo, na organização da Globo, (que quem fazia era a Cacá), a Federação, os cartolas, a falta de comunicação de todos, e tudo o mais que envolve esta zona do futebol. Resultado, fui absolvida, a bagunça e a culpa foi atribuída para todos nós! Até do bendito Maestro da Polícia Militar se precipitou, e ele estava mais perto do que eu do campo e também não viu nada. Foi hilário!!!

Estou Feliz

domingo, 18 de janeiro de 2009

Das Vantagens de Ser Bobo - Clarice Lispector



Tenho um grande amigo, que eu amo de paixão. Para cada amigo, temos uma linguagem, um sinal com eles em especial não é, não?! Com este, eu tenho um carinho todo especial. Nunca o vi... Mas posso senti-lo. Há tempos falo com ele, bricamos muito no orkut, e falamos muito pelo msn d i a r i a m e n t e !

Ele mora encostadinho a minha casa.
Ele corre na rua, e eu também, mas ainda não nos cruzamos. Morremos de rir quando falamos que voltamos da nossa caminhada, fazemos caminhos diferentes. Mas não tem problema, sempre estamos nos cruzando.

Ele é o Zé... o "Zé sem Koizá" um delicioso personagem que ele criou com muita inteligência e que arremata muitas amigas no orkut e na vida dele e com seu jeitinho de menino abandonado, o Zé vai longe! E assim, ele vai levando a vida.

A mulherada cai em cima dele. Ele é esportista, um homem imenso, adora correr.

Faz tudo com o micro, consegue fazer pps maravilhosos, vídeos e manja horrores disto aqui. Muitas e muitas vezes, ele me socorre e sempre me ajuda muito com a minha incapacidade neste mundo tecnológico dos micros e seu universo infinito. Zé, simplesmente o Zé, é um paciente comigo, e meu apelido no orkut de "CON BLUE", foi ele quem deu.

Zé sempre bem humorado faz os amigos darem muitas risadas com suas armações no orkut, e trata de maneira igual a todas as amigas. Mas, sabemos de sua capacidade intelectual e este vídeo quem me enviou foi ele. Vale a pena você ouvir.

Zé, você é um amor!
Gosto de você e agradeço por tudo o que você tem sido para mim neste mundo virtual, real!

Bjus CON

http://brinquedodemulher.blogspot.com/

Minha doce foi quem têve o gesto de fazer esta delicadeza comigo.


Fiquei surpresa, pois jamais imaginava que isto pudesse acontecer comigo.
Nem me entendo com as ferramentas do meu blog, apenas escrevo o que eu sinto e percebo em torno da minha vida. Gostaria de colocar o link dela para que vocês entrassem no blog dela diretamente, mas ainda vou aprender a fazer isso. E peço que todos conheçam o blog da Lê.
Por esta razão, deixei o link dela no título deste post.



Aí está o meu prêmio. Criado por ela, bem humorada, linda, e amiga!

Repasso aqui as palavras que ela deixou de presente pra mim no seu blog para que vocês entendam, e assim, ela repassa a mais outras amigas.



Esse é um selo feminino,rs, e quem o recebe deve exibi-lo no blog e repassa-lo a outras 06 mulheres.Esse repasso para:

Conceição

Paulinha-depois de segunda

Cris-Tudo que eu sinto

Lilian Diprofundis a nadis

Claudia

Cris-Preciso aproveitar vc



...E ainda tem gente que não gosta da internet.

Lê, muito, muito obrigada!

sábado, 17 de janeiro de 2009

A Dança e o Sexo


As vezes pensamos que a vida poderia nos dar uma segunda chance não? Por mais que tivessemos vivido, temos dentro de nós um sonho a sonhar, um desejo a se realizar. Conscientemente sabemos que isso é complicado, mas todos nos pegamos um dia pensando: Ah, se eu tivesse uma segunda chance de viver o desconhecido, de ter uma vida mais atrevida, diferente, nova!  Enfim.


... A vida segue e um dia fui a um casamento. Estava ligeiramente desanimada, sem vontade de absolutamente nada, mas tinha que cumprir uma obrigação social.

Fui despretensiosamente vestida.
Lembro ainda hoje, que morri de calor. 
Não fui ao cabeleireiro, eu mesma me arrumei, me maquiei de maneira suave e pronto. 
Meu vestido era um Moschino, não podia ser mais clássico.
Mamãe e outras pessoas da minnha família estavam comigo. 

Por muitos ocasiões acreditei que não mais teria vida sexual.
Não fazia amor há anos, e não sentia mais vontade de ter um homem. Sublimei.

Há tempos não sentia o gosto de um beijo molhado. 

Ninguém acreditava em mim. Quando o assunto na roda de amigos era sexo, diziam: "você tem a cara de que está sempre em dia".   Todos pensavam que  minha vida sexual, era ativa.  Que pecado! 
Os médicos e minha mãe sabiam que não era verdade.  

A festa começa, os noivos entram no salão, brindamos, a comida é servida, a música anima a galera e começa a alegria da noite que marca aquele momento. A música alta, a dança rola solta quando vem à nossa mesa um lindo homem: Magro, alto, de sorriso largo  se senta ao meu lado. Brincando faz um charminho, se apresenta, pede um whisky... Interessante, conversa um tempo conosco, demos boas risadas.  Logo mais se levanta pega nas minhas mãoe e vamos dançar.

Me senti insegura, olhei surpresa para minha mãe como se pedisse sua aprovação, mas não tive tempo de  pensar. Me senti envolvida em braços firmes, e logo nos  primeiros passos nosso corpo era feito um para o outro.

Não erramos um só passo e a cada volta dançávamos mais e melhor. 
Nos olhávamos surpresos, e todos os ritmos eram nossos conhecidos, parceiros, perfeitos!
Juntamos nosso corpo e parecíamos um só.
Todos olhavam... Sorriam, aplaudiam e fomos nos envolvendo num só passo.

O cheiro dos nossos perfume se confundia numa química divina, era delicioso!

Minha mãe ficou feliz em me ver rodopiando no salão. Não paramos de dançar  e nos esquecemos de todos à nossa volta. Ela veio até nós, se despediu e foi embora. Não saímos mais da pista de dança e dancei como há anos não dançava. Parecia um sonho, divino!  Senti uma alegria incrível e não queria que aquela noite acabasse nunca mais para nós dois.

Ele sorria e me abraçava, me girava, brincávamos, ríamos, e nosso rosto roçava um no outro até que nossas bocas se encontraram e mesmo na frente de todos, nos beijamos esquecendo que estávamos entre amigos que nos conheciam e sabiam das nossas vidas.

Todos foram cúmplices da nossa dança. Ninguém disse absolutamente nada.

As cinco da manhã saímos da festa e fomos para o hotel que ele estava hospedado. Sem dizer uma só palavra, sem combinar nada, fomos de mãos dadas para a cama.

E como continuação daquela dança que tivemos, -  desta vez nus, ainda  suados dançamos no ritmo do sexo. Fizemos amor por muito tempo. Nos beijamos muito, gozamos tudo e dormimos.

Acordamos tarde. Nos encontramos de mãos dadas e pernas entrelaçadas. Tomamos banho. Fizemos amor mais uma vez. Nos despedimos num abraço com encaixe perfeito...

Ele morava na Alemanha e nunca mais nos vimos. Não poderíamosmos nos ver...

Saudade e cumplicidade de uma festa de casamento onde eu fui muito feliz.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Momentos de 1982


Incosciente


Você brinca comigo há séculos,
Você me dá toques incríveis e não te absorvo todo.
Você acelera o rítimo do meu coração e emoção e não me esclarece?!
Você acha as pessoas simpáticas quando eu acabo amando-as...
Você me faz mentir, brigar, fingir e pensar - você me esconde a razão
você me desvia a atenção
você confunde o meu tesão
você se funde no que é consciente
você de repente se faz presente
você num instante já é ausente e agora nesse momento, tudo o que era inconsciente parece ser presente e isso me faz inconsequente - consciente

Momentos de Crise - Meus ( 1989 )

Tenho mil crises de vida!
As vezes me sinto a mais feliz das mulheres, as vezes a menos vivida...
Por alguns momentos sei que sou capaz e em outros me vejo lá atrás.
Tenho toda a vontade de vencer!
Faço projetos, me vejo nos meus sonhos!
Mas de repente perco a vontade, e estaciono.
E fico outra vez desapontada, sem nada!
Em crise!

Momentos Meus de 1989


Me Achar.
Primeiro eu preciso me achar para depois me dar ao luxo de me perder.
Só que muitas vezes me sinto completamente perdida. Será que isto é normal?
Todos dizem que minha vida não é, e não foi normal. Será? Por que isso?!
Será que o normal é nascer, crescer e casar, manter o casamento até chegar nas bodas de ouro? Você é realmente feliz nos seus 20, 30, 40 anos de casado? O que é isso, é carma?

Quantas vezes você pensou em chutar tudo para o alto e aproveitar mais a sua vida? Pois, sempre ela foi tão normal para você?

Ah!... memórias, respeito, conceitos, preconceitos, bens materiais, filhos, medos, segredos... Momentos.

Tudo na vida, são momentos. O normal não existe, a felicidade nunca existiu, apenas os momentos é que passam por nós como coisas que depois nos fazem sentir perdidos ou achados, mas nunca normais. Momentos são as coisas da vida que ficam na nossa memória.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Dois Adolescentes


Não sabemos nada de sexo. Apenas somos apaixonados e logo depois de um tempo de namoro, sentimos muita vontade de transar. Era mais forte do que eu, do que ele.
Não pensávamos em outra coisa na vida. Sabia que minha hora estava chegando, não mais resistiria.

Meu sonho era o de passar uma noite inteira na cama grudada naquele moleque! Seria ele o homem da minha vida?! Sei não, mas é para ele que eu vou dar o meu corpo puro, ainda desconhecido de mim mesma. Quem sabe, ele seja o primeiro e o único homem da minha vida? Ah! Tomara que sim, meu grande amor.

Que vontade é essa que sinto de transar?! Não consigo acompanhar o que meu corpo pede e minha cabeça desobedece. Quero beijar, quero que ele me pegue toda, que me possua, que me coma, como eu vejo nos filmes de cinema. Quero fazer amor na cama, na praia, no mar. Onde vamos fazer isso? Ele nem dirige ainda! Como resolver isso em casa? Minha mãe não pode nem sonhar, mas eu vou dar para ele.

Quero transar, sentir todo o seu corpo no meu. Preciso ver o sexo dele, pegar todo na minha mão, beijar, chupar, cheirar, sentir sua textura, seus movimentos, quero que ele enrijeça na minha mão e dentro de mim. Preciso matar esta vontade quero-o na minha boca.

Dentro da minha casa, isto seria impossível. Minha mãe pega muito no meu pé, não nos deixa sozinhos um segundo sequer.

Fomos andar pelo prédio e no jardim tem um cantinho que nunca aparece ninguém. Fomos aos beijos e abraços, com um tesão maluco, irracional. Ele passava a mão em mim, me encostou na parede, levantou minha saia e eu senti pela primeira vez o seu pau inteirinho nas minhas coxas, quente, grande, duro! Eu tremia de medo, de vontade e de tesão. Ele se esfregava em mim, me beijava e queria que eu o beijasse também.
Nós dois suávamos muito. Ele pediu para eu o chupasse.

Fiquei insegura, sem saber como, mas a vontade e a curiosidade me levaram a esta experiência divina e eu o beijei todinho, até que ele gozasse na minha boca. Fiquei surpresa comigo, com ele, com o que aconteceu. Tratamos de nos arrumar logo, e procuramos um lugar mais comum no prédio para tomarmos um ar mais seguro.

Eu e ele estávamos apaixonados.

Como dois malucos, voltamos para no nosso cantinho. Ele queria mais e eu também.

Estava acesa, agora queria ele dentro de mim. E assim foi. Ele veio aos beijos e chupadas no meu pescoço, a noite linda, céu estrelado, a brisa refrescava meu corpo e as estrelas pareciam sair dos meus olhos e espocavam no céu com luzes intensas. Devagar me deitei no chão e nos amamos. Ele em cima de mim. Senti tudo dentro do meu corpo pela primeira vez. Ele fez todos os movimentos e nem senti dor. Nem sei se eu gozei, mas senti um prazer imenso. Inenarrável.

Já transamos no mar, em casa, na cama da minha mãe, na cama da mãe dele, a toda hora estamos transando. Já até tomamos banho juntos. É só ter uma brecha, que fazemos amor. Não sou experiente, sou ainda uma menina de 18 anos. Sei que ele a toda hora goza. As vezes demora um pouco, e não entendo isso, demora mais de 15 minutos, faço de tudo... Penso que sou eu o problema. A única dúvida que tenho é sobre o meu gozo. Será que eu gozo? Como é o gozo? Sei que ele tem um ápice, mas não sei se cheguei nesse ápice ainda...

Alguém me ajuda? Como é o gozo?

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

A Privada - Bertolt Brecht


"É um lugar onde nos sentimos bem
Tendo acima as estrelas, abaixo os excrementos.

Um lugar simplesmente maravilhoso onde
Mesmo na noite de casamento é possível estar só.

Um lugar de humildade, onde você descobre nitidamente
Que não passa de um homem que nada pode conservar.
Um lugar de sabedoria, onde voce pode preparar.
A barriga para novos prazeres".

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Nietzsche

As mulheres podem tornar-se facilmente amigas de um homem; mas, para manter essa amizade, torna-se indispensável o concurso de uma pequena antipatia física.

Friedrich Nietzsche


"Na vingança e no amor a mulher é mais bárbara do que o homem"
FN

"

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Sete Vidas



O filme com Will Smith e Rosário Dawson conta a história de um homem extremamente complicado que está em depressão depois de um acidente causado por ele.

A culpa leva este moço à loucura. Ele projeta coisas para um futuro próximo, e quando pensa que seu objetivo foi alcançado, ele se apaixona por Emily ( Rosário Dawson ), que sofre do coração.

A história é bem interessante, e há aí um belíssimo momento de amor. Ela, ja atuou em outros filmes como "Os homens de Preto", "Os Boêmios" e outros. Durante sua interpretação gostei muito de suas expressões faciais e quando ela beija seu amado, constatei que seu sangue era latino. Um jeito de acarinhar diferente, quente, dedicado, com amor, que só nós temos. A moça de 1.73m conquista o espectador.

Muito bom o filme, vale entrar no cinema e se desligar deste mundo de malucos.

Marley e Eu



A história do livro que virou filme, com o nome de Marley e EU, é do cachorro que chega na casa de um casal de jornalistas recém casados, sem muitos problemas na vida e que decidem comprar um Labrador.

Esta raça de cachorro é típica para a frase que usamos para dizer que alguém está com a carinha de "cachorro abandonado" depois que "apronta" alguma arte. Por algumas vezes o diretor mostra esta carinha de Marley, que arranca suspiros da platéia. É lindo demais!

A estrela do filme, é sem dúvida o Marley, que vive todos os anos de sua vida ao lado de sua "familia humana" com direito a todas as emoções imagináveis. Ele é sensível e parece adivinhar o pensamento de seus donos, pior, se sente parte deles sem perder um instante se quer desfrutando da companhia dos dois, ainda que em momentos constrangedores. Ele está em todas!

Apesar de ser um filme para descontrair, o que é ótimo nos dias de hoje onde a guerra é notícia constante nos jornais, ele traz assuntos muito delicados nas diversas crises que vivemos no casamento.

Legal para refletirmos, portanto, se você tiver que levar um filho mais novinho ao cinema, sobrinhos, ou alguma criança agregada à sua vida, vá com boa vontade. Vai valer a descontração, acredite!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Lamentável O Comportamento do Homem


Guerra No Oriente Médio, mais um ano que nasce com a tristeza das mortes que aumentam a cada dia para entristecer um pouco mais a história da humanidade.

Israel ataca a Palestina com seu foguetes "cegos" que matam inclusive crianças como desculpa da guerra por um pedaço de terra, a rima é pobre, mas o resultado de tudo isto é extremamente triste, infeliz. A Faixa de Gaza, é dominada pela facção - Hamas - e neste produtivo encontro todos se matam, ferem, sangram sem dó as centenas de pessoas, civis palestinos, crianças. Como entender e aceitar atos como este? Para quê? Por quem?

Soldados israelenses se posicionam na Faixa de Gaza. A guerra continua, vamos matar! Temos armas "modernas" capazes de acabar com o mundo! Uau!

Os palestinos que morram todos! Mas são milhões deles!? Israel parece não ligar para as vítimas palestinas - como me escreveu o jornalista e amigo, David, e defendem seu povo atacando outro que é parte dele?

História confusa dessa gente, justamente na Terra Prometida, lá nasceu e viveu Jesus. Não há paz. Ah! Quanto vale a paz? Será que é por isto que eles lutam? Não se entendem? Será pela paz? Não, não é e jamais será enquanto o homem existir. Não há chance de paz no mundo. O homem não quer, não deixa que ela se estabeleça entre nós. O homem cria, inventa, se projeta, é vaidoso, mas é do mau. Todos são gente, mas os corações são de pedra. Olham para o próprio umbigo e os argumentos de um vale mais que o do outro, sempre! Ninguém tem humildade para ouvir, abrir mão de coisas materiais, ganhar coisas para a alma, para a sua paz. A vida!

Desolada, conversando com um grande amigo, o Antonio, disse a ele que não acreditava na melhora do mundo em função da boa vontade entre os homens. Ele me respondeu lindamente assim: "Con,desde que o mundo se conhece, o homem é o seu maior inimigo. O homem é inimigo do universo e é inimigo da própria raça. O homem é o maior perigo para o homem e para o mundo. O homem é o lobo do homem...Sossega, bicho homem!"

Realmente entendi que não estava sozinha com meu pensamento. Ninguém pode fazer nada. Nem a Onu, nem a Terra Santa que foi abençoada por Jesus, se livrou daquela gente horrorosa. Ninguém aguenta mais os pés que pisam aquela região infeliz, de gente avarenta, podre, mentirosa, loucos por sangue, rançosos, bando de ignorantes, que inventam a todo instante um motivo para justificar suas mazelas. Não, a paz não reinará entre nós. O bicho homem não vai deixar.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Hoje é Dia de Reis


A tradição Católica diz que os senhores Melchior ou Belchior, Gaspar e Baltazar, os três reis magos, foram os que levaram guiados por uma estrela brilhante, na madrugada de 5 para 6 de Janeiro,conhecida como a “Noite de Reis”, os presentes para o menino Jesus.

Significado dos presentes:
Ouro – para um Rei
Incenso – para um sacerdote
Mirra - para representar a espiritualidade

O significado do nome dos Magos:
Gaspar “Aquele que vai inspecionar”
Melchior “Meu Rei é Luz’
Baltazar “Deus manifesta o Rei”

Baltazar era africano, segundo São Beda, o vulnerável, o outro europeu e o último persa. Representavam a humanidade daquela época.

Hoje é o dia de desmancharmos a nossa árvore de Natal, de tirarmos os enfeites de casa. Hoje a cidade fica mais escura, perde um pouco do seu brilho, aquele do encantamento, do sonho, da esperança... Mas fica na lembrança de todos nós, a energia desta beleza e o seu significado, para um ano cheio de novidades e de nova força.

É comum no interior a comemoração nas Igrejas com oração e cantoria. Em casa oferecemos comida, pode-se fazer um jantar e convidar amigos, depois, tocar a vida para frente e fazer o mesmo com os outros que virão de encontro no seu caminho.

Para os mais abastados, comprem doces, comida e entreguem à quem necessita. Repita este ato algumas vezes durante o ano, nada vai lhe faltar.

Felicidades para 2009!



ORAÇÃO:
O Senhor é o meu pastor e nada me faltará.
Deita-me em verdes pastos e guia-me mansamente em águas tranqüilas. Refrigera a minha alma, guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo, a Tua vara e o Teu cajado me consolam. Prepara-me uma mesa perante os meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida e habitarei na casa do SENHOR por longos dias.